quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Recursos - Português - Argumentos

Deixem nos comentários abaixo os argumentos para os recursos das questões de português.

42 comentários:

Anônimo disse...

FUNDAMENTOS IMPECÁVEIS PARA RECURSO ... A VUNESP VENDO ISSO NÃO PODERÁ RECUSAR-SE A ANULAR A QUESTÃO, VEJA:
.
.
Concordância verbal com percentagem
(Hélio Consolaro* )
.
As eleições municipais (para vereadores e prefeitos) de 2004 estão aí, muitas frases serão ditas e escritas sobre o assunto. Na apuração dos votos, alguns erros comumente são cometidos por jornalistas, narradores, publicitários e políticos.
Por exemplo: "Já foi apurado 73,45% das urnas". O erro é de concordância verbal, pois o verbo está conjugado na terceira pessoa do singular enquanto o seu sujeito está na terceira pessoa do plural: "73,45% das urnas". Eis o sujeito, representado por número percentual acompanhado de substantivo preposicionado. Quando isso ocorrer, o verbo tanto poderá concordar com o número percentual (73,45) quanto com o substantivo preposicionado (urnas). A frase adequada aos padrões cultos da língua portuguesa poderia, então, ser estruturada de duas maneiras:
"Já foram apurados 73,45% das urnas."
"Já foram apuradas 73,45% das urnas."
Outros exemplos:
43% da população votaram em Lula ou 43% da população votou em Lula.
1% dos brasileiros optou pelo candidato José Maria ou 1% dos brasileiros optaram pelo candidato José Maria.
.
Se o número percentual estiver acompanhado de elemento restritivo (artigo, pronome adjetivo) ou de mais de, menos de, perto de, a concordância se dará apenas com o número percentual. Veja outros exemplos:
Esses 43% da população provavelmente votarão novamente em Lula.
O 1% dos brasileiros simpatizantes de José Maria provavelmente é contra FHC.
Mais de 40% da população brasileira votaram em Lula.
Essas são as regras. Há gramáticos que, para facilitar o uso do verbo nessas situações, pregam que a tendência é concordar somente com o substantivo, mesmo no caso dos restritivos.
.
*Hélio Consolaro é professor de Português, cronista diário da Folha da Região - Araçatuba -SP, presidente da Academia Araçatubense de Letras e coordenador do site Por Trás das Letras.
http://www.portrasdasletras.com.br/pd

tl2/sub.php?op=gramatica/docs/concverbalcomperc

entagem
.
O CARA É PROFESSOR, CRONISTA, PRESIDENTE DA ACADEMIA ARAÇATUBENSE DE LETRAS !!!! QUE MAIS QUE VUNESP QUER !!! GENTE, AUMENTEM SUAS NOTINHAS E FARÁ UM DIFERENCIAL ENORME NA SUA CLASSIFICAÇÃO !!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Resumindo...

Português – Questão 23 – Versão 01

Cerca de 3% da População mundial sofre com o problema,,,

»» Não deveria ser “sofrem”, concordando com “3”. Assim: 1% Sofre ou 3% sofrem...

Anônimo disse...

Acontece que na prova está escrito "população", que está no singular.
Acredito que nesta questão não caiba recurso não.

Anônimo disse...

Se 1% da população "votou" está correto, o que vc quer?

Anônimo disse...

Gostaria de saber o porquê da questão de Portugues nº 55, versão 2, ser a correta a alternativa D, ou seja:
Assinale a alternativa em que a frase está correta quanto à pontuação: Alternativa D - Quando a tentação nos assedia, é preciso coragem - e muita - para dizer não.
Eu coloquei a alternativa B - Fazem parte da decência humana fundamental, a ética e a moralidade.
Qual o erro da frase B, não ocorre inversão?

GUSTAVO disse...

Encontrei a seguinte explicacao num livro de gramatica: "E necessario estabelecer um projeto para o pais" Segundo o autor, a segunda oracao trata-se de oracao subordinada subjetiva reduzida de inifitivo. Qual diferenca sera que tem da questao do concurso, na qual estava a frase: "E necessario discurtir que tipo de profissionalizacao devemos promover"?

Anônimo disse...

Olá, será que cabe recurso na questão do plural de gurdião? Não sei como argumentar, mas achei isso na internet:
Alguns substantivos terminados em "-ão" formam o plural substituindo essa terminação por "-ães": alemão/alemães, capitão/capitães, pão/pães, cão/cães, charlatão/charlatães, sacristão/sacristães, capelão/capelães, escrivão/escrivães, tabelião/tabeliães...

Em alguns casos, há mais do que uma forma aceitável para esses plurais. A tendência da língua portuguesa atual do Brasil é utilizar a forma de plural em "-ões":

guardião - guardiões, guardiães;
verão - verões, verãos;
anão - anões, anãos;
cirurgião - cirurgiões, cirurgiães;
corrimão - corrimões, corrimãos;
vilão - vilões, vilãos;
ancião - anciões, anciães, anciãos;
ermitão - ermitões, ermitães, ermitãos;
faisão - faisões, faisães;
refrão - refrães, refrãos.

Ana

Anônimo disse...

huprafael Curitiba disse...
sou de Curitiba e fui até Taubaté para fazer este concurso. Se vcs puderem ajudar e protocolar o recurso das questões sobre
1º) "o pronome esta refere-se a EDUCAÇÃO-certa resp.B",
2º) "GUARDIÃ-certa resp. C",
3º) "nome de ARQUIVO-certa resp. D(IeII)" e
4º) questão 29 prova4 "assinale a alternativa em que a frase está correta quanto a pontuação." (existem 2 corretas):
b)Fazem parte da decência humana fundamental, a ética e a moralidade. d) Quando a tentação nos assedia, é preciso coragem – e muita – para dizer não.

fico muito agradecido.

Anônimo disse...

- Quanto a questão n.º 8, da prova versão 4 (português), apresentada a seguir:

08. Em- ...seja esta de que nível for.- o pronome esta refere-se a

(A) transformação
(B) educação
(C) tenra idade
(D) inclusão
(E) profissionalização

O gabarito traz como correta a alternativa E no entanto a correta é a alternativa B,
O texto ao qual ela se refere, em toda sua produção trata do assunto “educação”.
A frase da questão foi retira do seguinte trecho do texto:

“É consenso que o acesso ao conhecimento é um fator fundamental para a inclusão e transformação social. Assim, mais do que nunca, todos os brasileiros devem ter acesso à educação, desde a mais tenra idade até a profissionalização, seja esta de que nível for.”

O termo “desde a mais tenra idade até a profissionalização” está entre vírgulas, é um adjunto adverbial referente à “devem ter”, é um termo deslocado, ou seja. ele poderia ser inserido em outro local no período mencionado. Por exemplo:

“É consenso que o acesso ao conhecimento é um fator fundamental para a inclusão e transformação social. Assim, mais do que nunca, todos os brasileiros, desde a mais tenra idade até a profissionalização, devem ter acesso à educação, seja esta de que nível for.”
Sendo assim o pronome esta se refere à educação

O termo em destaque também pode ser retirado do texto: “(...) Assim, mais do que nunca, todos os brasileiros devem ter acesso à educação, seja esta de que nível for”. O pronome esta se refere à educação.
Assim a resposta correto seria a alternativa B e não a E

Anônimo disse...

Questão 19 - Versão 01

A referida questão sobre o plural masculino da palavra guardiã deve ser anulada pois possui duas respostas corretas.
Segundo o Mestre Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, em seu dicionário da Língua Portuguesa - Editora Nova Fronteira - Página 875 - O masculino de Guardiã é Guardião e em seu plural podem ser utilizados tanto guardiões como guardiães, expressos, pois, corretamente tanto numa alternativa quanto em outra, na questão supra mencionada.
Querendo a resposta "mais completa", deveria o elaborador da questão utiliar o termo "apenas" nas opções de resposta e nunca no enunciado da questão em si.
Caso as alternativas individuais de respostas incluissem o termo "apenas", tais como:
a) I, apenas;
b) II, apenas;
c)III, apenas;
d) I e III;
e) II e III;
Não restaria dúvida da alternatica correta.
Porém, da forma proposta, é correto afirmar que o plural está devidamente expresso, em ambas as alternativas, não há erro em utilizar apenas uma das formas corretas, devendo ser tal forma utilizada de acordo com a vontade do interlocutor.
Portanto, é correto afirmar, parodiando a questão, que o plural masculino do termo guardiã está devidamente expresso em duas alternativas, e não em apenas uma, como quis aparentar o questionamento.
Nesses termos
P. deferimento

Anônimo disse...

Todas essas dúvidas de nada vão adiantar sem um professor de portugues para nos orientar. Tem algum professor de portugues que participa desse Blog? se tiver, nos oriente sobre essas questões.

Dana disse...

Isso mesmo, quem vai fazer recurso da questão do plural masculino de guardiã, tbm concordo, pois pode ser usado em duas formas, concordo c/ um comentário q está postado aqui...concordo plenamente com recurso pessoal...vamos lá...recurso em cima dessa questão!!! Valew...

bruno disse...

É necessário discutir que tipo de profissionalização devemos promover.
Acredito que há 3 orações.
A primeira a principal.
A segunda com uma função de objeto direto.
E a terceira oração reduzida, com função de sujeito.
Acho que ficaria assim:
É necessário discutir que tipo de profissionalização que nós deveremos promover.
Se eu estiver errado me corrijam.
Como a segunda e a terceira oração estão grifadas, acredito que a questão tem duas respostas: objeto direito e sujeito.

Vânia Sousa disse...

Quanto à questão de concordância: Cerca de 3% da população mundial sofre com o problema da fome...
Essa frase está correta, pois apesar de o verbo ter de concordar com o numeral: 3, portanto deveria estar no plural, após essa porcentagem há um substantivo coletivo: população, que já concorda com o numeral, então o verbo pode ser flexionado tanto no plural, quanto no singular.
O primeiro argumento desse blog sobre o professor Hélio Consolaro já explicita isso no exemplo:
43% da população votaram em Lula ou 43% da população votou em Lula.

Só para constar, errei essa alternativa, mas reconheço que a resposta está correta.

----------------------------------
Quanto ao plural masculino de guardiã, se a pesquisa trouxe guardiães e guardiões, então a questão tb está correta. O enunciado da questão está claro que o plural está contido em apenas uma das alternativas, mas isso não quer dizer que a palavra tenha apenas um plural. Vamos ser sensatos, porque nessa questão, com certeza, não caberá recurso, ou pelo menos não por esse motivo.

Anônimo disse...

Galera, tem que tomar por base que EDUCAÇÃO no sentido que está empregada no texto não tem nível, uma vez que é a formação completa do indivíduo, seriamente fiscalizado quando o indivíduo é menor. Claro é pereceber que, nos dias de hoje e no país em que vivemos, primeiro existe a luta pela educação (completa), a profissionalização vem depois, seja esta de que nível for. Absurdo é brigarmos para dizer que o texto fala sobre a educação, uma vez que ele mostra que a educação é base, é essencial para a formação.

Anônimo disse...

Professor Douglas,
sobre a questão 73 - versão III

o plural masculino de guardiã também não pode ser GUARDIÃOS?..

Na prova considerei que todas as opções estavam corretas, mas como não havia nenhuma alternativa que se adequasse a isso, optei pela alternativa D.
Estou enganada (verifiquei pela internet e em vários locais encontrei guardiãos como sendo correto também)?

Se assim for, poderíamos pedir a anulação desta questão?

Márcia SBC (média 7,5)

Anônimo disse...

Não concordo com a Vânia na questão do plural de guardião. Concordo com o amigo "anônimo" acima. A questão tem duas respostas corretas.

Ana

Fabiola disse...

Quero aqui deixar registrado que concordo com a pessoa que colocou a questão da "educação " e "profissionalização". Questão 8 da versão 4. Foi exatamente isso que pensei : o termo "desde a mais tenra idade até a profissionalização" está entre vírgulas, o que significa que o pronome está se referindo à "educação". Por favor, recurso nesta questão.

Fabiola disse...

Quanto a questão da concordância "Cerca de 3% da população sofre..." com essa explicação colocada acredito que não caiba recurso pois nesse caso o verbo está concordando com a "população", eu errei essa questão pois achei que fosse "3% da população sofrem..."

Anônimo disse...

olá prof.
português quetão 24 versão 1
Em-...seja esta de que nivel for. para mim a resposta certa é a (b)educação,mas o gabarito considera a (d)acho que cabe recurso.Não sei como argumentar mas a Lindinha pode nos ajudar.

Anônimo disse...

PROF.SE UM ALUNO ENTRAR COM RECURSO VALE PARA TODOS?

Anônimo disse...

Em relação a dúvida sobre a questão de pontuação:

Dicas de Português (site da UOL)
Por Thaís Nicoleti de Camargo

Vírgula: não a empregue entre o sujeito e o predicado

Desta vez, sumiram da chamada "sala cofre" da comissão, cópias de dez notas fiscais supostamente emitidas pela DNA Propaganda.

Não se usa vírgula entre o sujeito e o predicado, mesmo que haja inversão da ordem usual da frase. Observe, no exemplo em questão, que o sujeito ("cópias...") vem após o predicado ("sumiram..."), mas, mesmo assim, não deve haver vírgula entre eles.

Veja, abaixo, o texto corrigido:

Desta vez, sumiram da chamada "sala-cofre" da comissão cópias de dez notas fiscais supostamente emitidas pela DNA Propaganda.

Ou seja, na questão:
"fazem...., a ética e a moralidade."
Não pode haver virgula.

Anônimo disse...

A questão do guardião está certa, pois se vcs fizerem uma pesquisa no google com o tema: plural de guardião, vai aparecer uma porção de sites com a mesma resposta:
guardiões ou guardiães.

Anônimo disse...

em relação a questão sobre se a correta é educação ou profissionalização, é correta profissionalização, tendo em vista o termo usado "esta", que retoma ao termo mais próximo, se fosse para retomar a educação, teria que usar "aquela".

Anônimo disse...

tem razão, o termo "esta" faz referência à profissionalização....

a resposta seria educação se fosse empregado o termo "aquela"

Anônimo disse...

Não concordo com a resposta "profisionalização", pois, apesar da palavra "esta" se refirir ao termo anterior mais próximo, tomando-se por base que a frase "desde a mais tenra idade..." pode ser deslocada sem prejuízo da frase, o termo mais próximo referido é "...acesso à educação...LOGICAMENTE A RESPOSTA É "EDUCAÇÃO" - LETRA B - QUESTÃO 24 - PROVA TIPO 1
RECURSO NELES!!!

Anônimo disse...

Olha só:

O termo “desde a mais tenra idade até a profissionalização” está entre vírgulas, é um adjunto adverbial referente à “devem ter”, é um termo deslocado, ou seja. ele poderia ser inserido em outro local no período mencionado. Por exemplo:

“É consenso que o acesso ao conhecimento é um fator fundamental para a inclusão e transformação social. Assim, mais do que nunca, todos os brasileiros, desde a mais tenra idade até a profissionalização, devem ter acesso à educação, seja esta de que nível for.”
Sendo assim o pronome esta se refere à educação

O termo em destaque também pode ser retirado do texto: “(...) Assim, mais do que nunca, todos os brasileiros devem ter acesso à educação, seja esta de que nível for”. O pronome esta se refere à educação.

A regra que diz que o pronome ESTA é usado para o termo mais próximo e AQUELA quando o termo está mais distante. Se aplica quando no texto você se faz referência a um termo próximo e ao mesmo tempo a um mais distante.

Ex: Física e Geografia, essa eu já sei, aquela ainda tenho dúvidas.

Gramáticos ais exigentes ainda dizem que o correto seria usar essa ao invés de esta, pois esta seria para informação dita depois do pronome e não antes dele como no texto.

José Ricardo disse...

Acho perda de tempo pedir recurso dessa questão do plural de guardião. Acreditem, eu errei ela, e foi a única que errei de português. Adoraria que
ganhassem o recurso, mas infelizmente a resposta oficial está correta. Veja porque:
O enunciado diz ".... está devidamente expresso APENAS em...".
A resposta para essa pergunta não pode ser "(C) III", pois o plural não está devidamente espresso apenas em III (guaridões) (diga-se de passagem, eu marquei essa), mas está espresso corretamente também em II (guardiães). Entenderam?? Tem a palavra APENAS, o que torna a resposta oficial correta (letra (E) II e III, versão 4). Gente, não vai adiantar recorrer, infelizmente mesmo!

Anônimo disse...

Olha só:

O termo “desde a mais tenra idade até a profissionalização” está entre vírgulas, é um adjunto adverbial referente à “devem ter”, é um termo deslocado, ou seja. ele poderia ser inserido em outro local no período mencionado. Por exemplo:

“É consenso que o acesso ao conhecimento é um fator fundamental para a inclusão e transformação social. Assim, mais do que nunca, todos os brasileiros, desde a mais tenra idade até a profissionalização, devem ter acesso à educação, seja esta de que nível for.”
Sendo assim o pronome esta se refere à educação

O termo em destaque também pode ser retirado do texto: “(...) Assim, mais do que nunca, todos os brasileiros devem ter acesso à educação, seja esta de que nível for”. O pronome esta se refere à educação.

A regra que diz que o pronome ESTA é usado para o termo mais próximo e AQUELA quando o termo está mais distante. Se aplica quando no texto você se faz referência a um termo próximo e ao mesmo tempo a um mais distante.

Ex: Física e Geografia, essa eu já sei, aquela ainda tenho dúvidas.


Gramáticos ais exigentes ainda dizem que o correto seria usar essa ao invés de esta, pois esta seria para informação dita depois do pronome e não antes dele como no texto.

Thiago disse...

GUSTAVO disse...
Encontrei a seguinte explicacao num livro de gramatica: "E necessario estabelecer um projeto para o pais" Segundo o autor, a segunda oracao trata-se de oracao subordinada subjetiva reduzida de inifitivo. Qual diferenca sera que tem da questao do concurso, na qual estava a frase: "E necessario discurtir que tipo de profissionalizacao devemos promover"?
.................................
Gustavo, concordo com vc. Vou recorrer dessa questão. Se possível, poste aqui a bibliografia dessa gramática, bem como a página em que se encontra essa explicação. Assim posso "enriquecer" meu recurso!
Grato

Christian S. Morandi disse...

Pessoal...

Se um recurso for impetrado por uma pessoa, somente para este será válido caso seja anulada ou retificada a resposta.

Se for o caso de múltiplas respostas numa mesma questão, a Vunesp será obrigada a anular a referida questão e pontuar para todos.

Coloco-me à disposição de todos que desejarem recorrer, incluindo àqueles que moram em outros estados da federação, para elaborarmos um recurso extremamente abrangente.

Façamos o seguinte: enviem seus comentários das questões, da forma mais técnica possível , para meu e-mail e realizarei 1 (um)recurso que enviarei de volta a qualquer um que pedir, via e-mail. Podendo esse ser copiado e impresso por todos.

Quem se habilita a participar?

É só mandar.

Christian

chmorandi@yahoo.com.br

GUSTAVO disse...

Thiago, a explicacao que eu citei esta no seguinte livro: "Curso de Gramatica Aplicada aos Textos", Ulisses Infante, editora Scipione, pag. 403.

Anônimo disse...

christian morandi, eu enviei três recursos para seu e-mail. Se você achar que tem fundamentação pode repassa-los para o pessoal

francisco disse...

Pessoal,

será que cabe recurso em:

resposta: Guardiões.

resposta: Sujeito

Anônimo disse...

Com relação à questão nº 23 letra A - Versão 1
Encontrei no livro "Novíssima Gramática da Lígua Portuguesa do Domingos Paschoal Cegalla" 37ª edição - pág. 417 § 33:
O verbo deve concordar com o número expresso na porcentagem:

"Cerca de 40% do território FICAM abaixo de 200 metros" (Antonio Houaiss)

Esta construção é idêntica a que foi utilizada na questão nº 23 da versão 1:

"Cerca de 3% da população mundial SOFRE com o problema da fome, segundo dados da ONU"

Logo o verbo, segundo o CONCEITUADO Gramático acima, deverá ir para o PLURAL concordando com a porcentagem.

ENTÃO, PESSOAL, RECURSO NELES!!!

Thiago disse...

RECURSO PARA A QUESTÃO DO SUJEITO/OBJETO DIRETO
.
.
Em – É necessário discutir que tipo de profissionalização devemos promover. – a oração substantiva em destaque funciona sintaticamente como
(A) Aposto.
(B) Predicativo.
(C) complemento nominal.
(D) Sujeito.
(E) objeto direto.
O gabarito ERRONEAMENTE aponta a questão E como correta. Vejamos:
A expressão “discutir que tipo de profissionalização devemos promover” está, neste caso, funcionando como oração subordinada substantiva subjetiva reduzida de infinitivo.
Dessa forma, de igual equivalência, poderemos reescrever a oração da seguinte forma:
É necessário que se discuta que tipo de profissionalização devemos promover. – Verifica-se que o sujeito da frase é exatamente a expressão sublinhada. Para ficar ainda mais clara a compreensão, basta substituir o sujeito por ISSO. Vejamos:
É necessário isso. – ou – Isso é necessário.
Para reforçar ainda mais essa teoria, vale mencionar, aqui, um exemplo extraído da obra do nosso grande e saudoso Ulisses Infante:
É necessário estabelecer um projeto para o país.
Segundo o referido autor, a segunda oração trata-se de oração subordinada substantiva subjetiva reduzida de infinitivo. ( Ulisses Infante – “Curso de Gramática Aplicada aos Textos” , editora Scipione, pág. 403)
Oras, qual a diferença entre essa oração e a oração da questão do concurso? Dizer que a questão do concurso trata-se de oração subordinada substantiva objetiva direta é o MESMO QUE DISCORDAR do nosso competente e reconhecido autor.
Vale salientar também que a questão do concurso foi tão tendenciosa que em vez de destacar toda a oração reduzida, destacou apenas a expressão “que tipo de profissionalização devemos promover”, deixando o DISCUTIR de fora, dando a falsa impressão de que a expressão ora destacada estava funcionava como objeto direto. A análise sintática da oração INDEPENDE de qualquer termo destacado.
Tem-se, portanto, a alternativa D como correta!!!!

Thiago disse...

Valeu Gustavo...
Já preparei o recurso (postei aí em cima)....
Abraço

Thiago disse...

Quando eu disse
"É necessário que se discuta que tipo de profissionalização devemos promover. – Verifica-se que o sujeito da frase é exatamente a expressão sublinhada. Para ficar ainda mais clara a compreensão, basta substituir o sujeito por ISSO. "
.
.
Eu sublinhei "que se discuta que tipo de profissionalização devemos promover".... Aqui não dá pra ver o termo sublinhado...rsrs

Thiago disse...

o) Quando o sujeito é representado por expressão indicativa de porcentagem , o verbo pode concordar com o numeral ou com o substantivo a que se refere a porcentagem. Se o numeral vier com determinantes (artigos, pronomes, etc.), o verbo concordará, obrigatoriamente, com eles. Por outro lado, o verbo concordará com o numeral, quando vier anteposto à expressão de porcentagem. Vale lembrar que com as expressões cerca de, perto de, mais de, menos de, antes da porcentagem, o verbo concordará apenas com a porcentagem.

Ex1.: 20% da população acreditam em suas idéias.
Ex2.: 20% da população acredita em suas idéias.
Ex3.: 45 % dos estudantes acreditam em suas idéias. (Aqui os dois elementos estão no plural, então o verbo só pode ficar no plural)
Ex4.: Os 75% da turma querem aula aos sábados.
Ex5.: Os comentados 5% da dívida foram pagos ontem.
Ex6.: Este 1% dos estudantes estudou pouco crase.
Ex7.: Foram importados 60% da produção de biquínis brasileiros.
Ex8.: Fizeram a prova, no domingo, 85% dos candidatos.
Ex9.: Cerca de 30% dos alunos estudaram bastante a gramática.
Ex10.: Mais de 1% dos convidados levou presentes ao aniversariante.
Ex11.: 1% dos candidatos faltou ou faltaram à prova de hoje.

Aqui se refere em relação a concordância verbal em relação a porcentagem, se tratando de "cerca de"...

"Ex9.: Cerca de 30% dos alunos estudaram bastante a gramática."

Ou seja, a questão que se refere a resposta correta em "Cerca de 3% da população mundial sofre....", creio eu, cabe recurso..

Fonte retirada de: http://www.cintiabarreto.com.br/didatica/concordanciaverbal.shtml

Anônimo disse...

é galera....eu também errei a questão da porcentagem..estou com o mesmo pensamento...será que a nota de corte será alta?....consegui fazer 80% da prova..prestei para sto andré...

Anônimo disse...

Gente...tenham fé! E mandem recursos de Portugues nessa Vunesp q não sabe eleborar questões!!! Força de vontade! Ninguem fique esperando os recursos dos outros...faça o seu!!! Mto mal formuladas as perguntas de Portugues!!!!

Zilda Lira disse...

Gostaria de saber a melhor forma de trabalhar com orações coordenadas e subordinadas.
meu e-mail: zildalira@hotmail.com