quarta-feira, 20 de agosto de 2008

COLUNA DO CONCURSEIRO SOLITÁRIO - Muito cuidado com as apostilas para o concurso do TRT-SP


Semana passada foi divulgado oficialmente o edital para o concurso do TRT-SP, um dos concursos mais esperados do ano e que promete não algumas dezenas de vagas, mas mais de mil contratações de novos servidores públicos para seus quadros.

Menos de uma semana depois da publicação do edital, já é possível encontrar no mercado pelo menos uma dúzia de apostilas para esse concurso. Peraí, isso não lhe soa meio estranho? Como uma empresa pode juntar o material indicado no edital, editorar, mandar para a gráfica imprimir e fazer a distribuição das apostilas nos pontos de venda em apenas alguns dias e manter, mesmo assim, a qualidade do material e garantir que tudo está atualizado como devia? Eu acho muito, mas muito difícil disso acontecer, principalmente se levarmos em conta os altos custos envolvidos para manter um ótimo padrão de qualidade operando com um prazo tão curto.

Se você ainda não sabe, o que mais tem por aí são apostilas de concursos de baixíssima qualidade, que sofrem de alguns problemas crônicos muito, mas muito sérios mesmo. Algumas deles são:

Desacordo com o edital – Como todo bom concurseiro sabe (ou deveria saber), o edital é a lei do concurso, as regras do jogo. Logo, deverá ser cobrado em prova nada mais que as matérias e tópicos previstos no edital. Acontece de muitas apostilas de má qualidade simplesmente não trazerem todas essas matérias e tópicos previstos no edital, seja porque são difíceis de serem encontrados, seja para economizar papel, ou então trazem matérias e tópicos totalmente diferentes e que não serão cobradas no concurso a que se refere. Em todos os casos, os únicos prejudicados serão os coitados que comprarem tal apostila, claro.

Leis desatualizadas – O ramo do Direito não é estático, muito pelo contrário, está em constante evolução. As leis estão sempre sendo alteradas, mudadas, substituídas, emendadas. É muito comum constar do edital de concursos públicos, várias leis para serem estudadas, que se não houver especificação explícita de até que data de atualização deverá ser observada, valem as atualizações feitas até o dia da publicação do edital. Só que muitas apostilas simplesmente trazem leis desatualizadas e isso, claro, pode ser fatal para os concurseiros que estudam com esse material.

Erros grosseiros – Todo material impresso, sejam livros, revistas, jornais ou apostilas, tecnicamente deveria passar pelo crivo de um revisor de conteúdo e de um revisor lingüista, o primeiro confere se o conteúdo está correto, o segundo confere a correção da escrita. Para baratear a produção de apostilas, muitas empresas, simplesmente, dispensam a participação de ambos profissionais, o que resulta em apostilas sendo comercializadas com erros graves e até grosseiros de conteúdo e gramática, o que também prejudicará quem estudar com elas.

“Colcha de retalhos” – A maioria das empresas que produzem apostilas para concursos públicos mantém um banco de dados de assuntos geralmente cobrados em certames. Quando é divulgado um edital e eles decidem produzir uma apostila, vão nesse banco de dados e “garimpam” o material necessário. O problema é que, muitas vezes, esse material é jogado na apostila sem o mínimo cuidado com a coesão e, no final o resultado é como uma grande colcha de retalhos. Isso prejudica muito quem estuda por essas apostilas, pois a falta de coesão na sucessão de assuntos cria confusão e dificulta muito o entendimento das matérias e tópicos.

Superficialidade – Com o grande número de candidatos em praticamente todos os concursos públicos da atualidade, as organizadoras estão sendo obrigadas a aumentar a dificuldade das provas de modo a permitir que apenas os melhores e mais bem preparados candidatos tenham sucesso. Por conta disso, os candidatos precisam se preparar mais e melhor, o que não é possível de fazer estudando com apostilas superficiais que tratam das matérias e tópicos rapidamente, por cima, sem um mínimo de profundidade que permita um melhor entendimento dos assuntos. Isso, claro, também prejudicará muitos tais candidatos na disputa por uma das vagas oferecidas nos concursos, pois não terão muita chance de competir com os candidatos que se prepararam com a mesma intensidade e atenção, mas usando materiais de estudo de melhor qualidade.

Resumo da ópera – Tome muito cuidado com as dezenas de apostilas que estão sendo vendidas por aí para o concurso do TRT-SP. Claro que há ótimas apostilas, mas são minoria. Não temo afirmar que 90% das apostilas para esse concurso que estão sendo vendidas não valem o preço cobrado e apenas prejudicarão os concurseiros que se arriscarem a estudar por elas. Como já diz o velho ditado, “o barato sai caro”, se você realmente quer se preparar seriamente para esse concurso, adquira livros de boa qualidade para estudar, afinal de contas, isso não será gasto, mas investimento em seu futuro ... e ele merece mais que economizar uns trocados comprando uma apostila vagabunda.



———«»———«»———«»———

Não deixe de visitar meu blog, o Concurseiro Solitário. Lá eu e outros concurseiros publicamos artigos sobre concursos públicos diariamente. Falamos sobre motivação, comentamos sobre matérias, concursos em andamento e muito mais. O endereço é:

www.concurseirosolitario.blogspot.comudando com apostilas superficiais que tratam das matais e melhor, o que nque apenas os melhores e mais bem preparados candidato

6 comentários:

Balone disse...

Muito boa a matéria do nosso amigo concurseiro e, principalmente, muito importante nesse momento de correria atrás de material didático atualizado conforme o edital. Por exemplo, eu estou meio confuso quanto a matéria de Direito do Trabalho e Processual do Trabalho e até pensei em comprar uma apostila... mas por outro lado a apostila em vez de me ajudar pode me prejudicar mais ainda. É muito importante tomar cuidado principalmente com as compras na internet de olhos fechados. As vezes cremos na credibilidade da empresa e ela pisa na bola, tomemos cuidado!

Anônimo disse...

Nem me fale sobre essa história de economizar e acabar se dando mal... o ano passado fui economizar numa apostila pro concurso de técnico do TCU e me arrependi amargamente. Muitos tópicos foram simplesmente colados da Wikipedia!! Resultado: gastei dinheiro à toa, pois precisei comprar o material mais caro de qualquer maneira. E ficou uma lição: agora só compro material pela internet se conheço a editora ou se algum concurseiro sério me deu boas indicações; e ao comprar na própria livraria, viro e reviro a apostila, dou uma boa analisada antes de comprar.

Anônimo disse...

Bom dia!!!!
Quais são as apostilas boas para TRT SP???

Anônimo disse...

Enquanto não sai apostilas boas e sérias, como faremos para começar a estudar? Venho tentando pegar as matérias na internet, mas no edital não sai especificando os artigos, e aí gera um pouco de dúvida nos capítulos e seções corretas que devemos estudar. Você sabe como a gente consegue pegar as matérias exatamente, artigo por artigo, para não ficar nada para trás? Obrigado.

Anônimo disse...

Meu povo,a Simone vai publicar na sexta-feira as dicas de material de estudo dela...É amanmhã,vamos aguardar galera.

Raquel Solitária disse...

Charles e Douglas, parabéns!
Assunto muito pertinente esse de hoje.

Bem, ontem fui a uma livraria e vi que há bons livros resumos da Editora Ferreira voltados para concursos. Não ganho nenhum dinheiro com isso, mas como advogada e estudante para a área jurídica, eu sei reconhecer um material e posso ajudar a separar o joio do trigo.

Raquel (colunista do concurseiro solitário)