terça-feira, 26 de maio de 2009

COLUNA DA RAQUEL

Quando a mira é móvel

Os concurseiros experientes e que focam em um tipo específico de carreira certamente irão se identificar com a situação que estou relatando. Então, você vem se preparando para a(s) prova(s), descobre que tem algumas deficiências no seu estudo e mira nelas. Coloca todas as suas energias e foco naquilo em que não é tão bom. Estuda tanto, mas tanto, a ponto de virar um quase-expert no assunto.

A identificação foi certeira, foi não? A dinâmica da vida e de sua faceta concurseira é assim. a relação de candidatos por vagas é diferente de um ano para outro. Eu costumo não me importar muito com isso, mas é verdade que ela aumenta bastante. Com isso, as bancas precisam fazer alguma coisa. Elas dificultam nossas vidas. Mas o quanto? Dá para mensurar? Aí, mora o fator surpresa.

Diante de tamanho fator intangível, surgem novas deficiências para corrigir. O alvo acaba mudando de lugar. Com certeza isso é complicado para administrar. Depois de assumir a faceta de boa memorizadora, estrategista, sensitiva (risos), esportista (provas físicas), virar futuróloga será apenas uma delas.

Para ser uma boa futuróloga concurseira, vou dar-lhes uma boa receita: pegue o edital, interprete o seu programa, monte seu esquema com o material a utilizar. Veja como cada matéria poderá cair em prova. Eu pensava que parava por aqui. Depois de realizar algumas provas recentemente, vi que temos que buscar o lado menos óbvio de cada matéria, dentro de sua amplitude. Em palavras melhores, seria estudar não só aquele diploma legal que esteja mais óbvio no edital, mas todos os outros que você conhecer e que tratem do assunto que você está estudando. Outra coisa que aprendi: fazer raciocínio interdisciplinar entre as diversas matérias do direito, pois elas estão caindo assim em prova!

Só por hoje: para ser vencedor(a) no mundo concurseiro, você deve ser um atirador que treme no momento do tiro (risos irônicos). Somente assim, você poderá acertar nos alvos móveis de suas deficiências, sejam elas atuais ou futuras.

Raquel Monteiro é advogada carioca.

3 comentários:

Simone disse...

Olá, Raquel!

Estava sentindo falta de seus textos. O que você colocou tem todo o sentido... as provas estão ficando mais complicadas. Nós concurseiros temos uma mania de interpretar o edital de maneira restritiva, mas isso é um tiro no pé. É melhor estudar um pouco a mais a perder alguns pontos no concurso, pois esses pontos que fazem a diferença.
Abraços.

Renata disse...

Oi Raquel, gostei muito do seu post. Estou começando minha jornada como concurseira ... ansiosa para o meu primeiro concurso, e consciente que o importante é estudar muito e não desistir. Abraços.

Raquel Solitária disse...

Olá, Simone e Renata. Obrigada por prestigiarem o texto. Realmente, esse é mais um desafio a superar. E vamos tremer no tiro, rsrsrs!

Raquel Monteiro