quinta-feira, 3 de setembro de 2009

DEPOIMENTO DE CLARA ORTIZ - ALUNA DO PROF. DOUGLAS E DO UNICURSOS SJC - 1ª COLOCADA P/ TÉCNICO JUDICIÁRIO DO TRT 15 - PÓLO SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Oi Professor, conforme você me pediu, aqui vai meu depoimento:


Minha história no mundo dos concursos começou no final do ano passado quando ouvi na rádio uma propaganda do Unicursos sobre o concurso para Técnico do TRT SP. Quando escutei que o salário era mais de 3 mil reais e só exigia Ensino Médio, não tive dúvida: “Vou prestar este concurso!”.


Eu fiz a turma intensivo, que dura uns três meses, e foi o meu primeiro contato com as matérias. Prestei o concurso, não me classifiquei bem, fiquei em 504ª, mas fui muito melhor do que eu esperava.


No começo desse ano fiz o Concurso de Bolsas da Unicursos e ganhei bolsa integral para fazer o curso para o TRT 15ª Região. Já que eu tive essa oportunidade, eu me dediquei pra valer para esse concurso.


Minha estratégia foi a já bem conhecida: Matéria dada, matéria estudada”. Eu chegava do cursinho e estudava todo o conteúdo dado em aula naquele dia.


A cada dia de desânimo eu lembrava de uma frase que o professor Douglas colocou ao final de um de seus simulados: “Quem quer fazer alguma coisa, encontra um meio. Quem não quer fazer nada, encontra uma desculpa”; e reencontrava forças para estudar (Para quem tem fé, também orava todos os dias antes de ir pro cursinho pedindo que Deus me desse força e sabedoria e sei que Ele tornou tudo mais fácil).


Nos finais de semana a regra era descanso, mas, se não desse tempo para estudar algo na semana, sobrava para o sábado ou domingo.


Eu tenho o pior tipo de memória, tenho que escrever, ler, falar e ouvir, tudo junto, pra decorar. Então pegava artigo por artigo da lei dada e reescrevia com canetinha bem colorida deixando em branco as informações mais importantes que eu tinha que guardar. Por exemplo: “salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado...” Eu reescrevia: “salário mínimo, ___ em ___, ____ unificado...”. Daí quando eu revia tinha que lembrar qual palavra estava no lugar do traço. Parece difícil, o próprio professor Fábio brincou que “tem louco pra tudo”, mas só de reescrever assim, a matéria entrava na cabeça de um jeito, que eu só fazia isso uma vez e não tinha que reler mil vezes os artigos. No final, acho que economizava tempo.


Quanto aos exercícios, só fazia em sala e, somente ao terminar de ver uma dada matéria por inteiro, resolvia de uma só vez as apostilas elaboradas pelos professores.


Por último e, acredito eu, decisivo, nos dez dias anteriores ao Concurso eu me enfurnei em casa e revi todo o conteúdo de todas as matérias.


Eu não posso negar que tive duas grandes ajudas: já tinha uma base de português e de matemática, podendo me concentrar nas matérias de Direito e; graças a Deus e ao meu marido, eu pude só estudar.


Entretanto, para quem está começando “do zero” ou não tem muito tempo disponível para estudar, não desanime! A diferença pode ser o quanto vai demorar para aprovação, mas ela chega!


Quando fiz o TRT SP e era tudo novo foi bem mais difícil, já para o TRT 15ª, era a segunda vez que eu via aquilo e as matérias foram clareando, o mesmo artigo parecia agora tão simples que era mais fácil e rápido para estudar.


Esses seis primeiros meses de 2009 foram desgastantes. Porém, nesta manhã, quando vi no Diário Oficial que fiquei em 1º lugar para Técnico Jud. Do TRT 15ª - polo São José dos Campos, tudo valeu a pena!


Obrigada Unicursos! Obrigada professores e colegas de Turma! Obrigada Prof. Douglas! E, em especial, obrigada aos meus pais, por sempre priorizarem uma boa formação para mim; e ao meu marido Guilherme, que me apoiou (e me patrocinou... rsrsrs)!


Eu sei que ainda há uma jornada pela frente: aguardar a possível nomeação e ir tentando outros concursos até que ela chegue, mas já venci a parte mais difícil.


Hoje chegou minha vez, a fila vai andar e amanhã será a vez de outro.


”Só não passa quem desiste!”.

Clara Ortiz

18 comentários:

Fernando H. disse...

Clara, parabéns. Infelizmente não atingi nem a pontuação necessária para ter minha redação corrigida e isso é extremamente desanimador. Bateu na trave, digamos. Entretanto, fico feliz em ver que grandes vitoriosos como você compartilham métodos de estudo, deficiências, etc., enfim, a jornada até o grande momento tal como aquele com o qual foi agraciada esta manhã. Parabéns pela garra e pela conquista.

Anônimo disse...

Parabéns Clara!

Não deve ter melhor sensação que a aprovação e ainda por cima com a melhor classificação possível!

Anônimo disse...

Parabéns Clara,
Tenho fé que minha vez está por vir
.
ótimo que a fé ajuda, sou do time que reveso os dias entre o desgaste
do trabalho e o cansaço noturno para estudar e sonhar acordado. Mas
como você tenho fé em Deus e sei que estudando vou chegar lá: TRT me
aguarde!! se o de SJCampos me escapou, tenho planos para um
estado praiano ou de queijo a minha
espera. Vou nessa!!! Parabéns, continue com Deus nesta nova fase,
futuro colega (o sonho não acabou),
Marcos

Jacque disse...

Preciso dar parabéns à Clara!!! O TRT é um concurso difícil, mtooo concorrido. Considero ela nova no mundo dos concursos....e já alcançou um resultado excepcional!!!! VAi longe!!!! :o)

Anônimo disse...

Douglas,vc sabe se vai ter curso no Unicursos para o TRT 3ª região?

Anônimo disse...

Clara,parabéns.
Mas estou aqui para deixar minha modesta opinião.
Eu só vejo alunos que tiveram uma excelente ou boa formação passarem nas primeiras colocações.Alunos de escolas particulares,a maioria com nível superior.
A Clara mesma diz que sua família investiu na sua formação.
Isso quer dizer que a formação do aluno é a grande responsável pela aprovação,então,quem vem de escolas públicas dificilmente atingirá tais vitórias.
É só observar os exemplos dos melhores alunos do Douglas:todos com nível superior.
E os que não tem nível superior, estudaram em escolas fortes.
Resumindo,de nada adianta fazer cursinho se você não estudou em uma boa escola.É dinheiro jogado fora.Ninguém vai conseguir te ensinar português, matemática em algumas aulas. É apenas uma grande revisão.
Esse é meu ponto de vista crítico,e gostaria que fosse divulgado.
Laerte

Letícia disse...

parabéns Clara!!!! Adorei o depoimento e serviiu mto pra mim!!!
heheh sempre te admirei qdo fazia aula no TRT de manhã... vc mereceee tudo de bommm sempre sempre!

=]

Fernando H. disse...

Laerte, concordo em partes.

Eu estou muito triste pelo meu resultado no TRT 15, entretanto, fiz o melhor que pude, fiz o melhor dentro daquilo que minhas limitações permitiam.

Essa base sobre a qual você falou também me faltou e ainda me falta, mas acredito piamente que é possível conquistá-la.

Infelizmente, e aí concordo contigo, isso não será encontrado em um cursinho preparatório. Principalmente aqui na minha cidade onde o mais famoso curso preparatório tinha um professor de Direito e Processo que sabia menos que os alunos...

O que fiz foi encontrar um professor particular de português que me cobrou um preço muito acessível e comprar um bom livro de português com o dinheiro que eu "gastaria" em um curso preparatório.

E aí fica a dia, Professor, um Unicursos na minha cidade seria muito interessante para desbancar os charlatões daqui - ou charlatães, como queiram...

Anônimo disse...

Gente mto obrigada por terem a paciência de ler o meu depoimento e por cada gesto de carinho ao compartilhar comigo esse momento.

Laerte, eu entendo o seu ponto de vista, mas não é bem assim tb; vai levar certamente mais tempo, porém, essa base pode ser sim conquistada. eu estudei parte em escola pública, parte em particular, mas, eu aprendi msm quando fiz cursinho pré - vestibular, e garanto! dá pra aprender todo o português necessário em um ano. Conheci pessoas no Unicursos que não tinham nenhuma base, então, fizeram primeiro o curso básico de português (não sei onde vc mora, mas a prof Renata q dá aula no unicursos é "fora do normal", ela tem uma didática q faz qlq um aprender) , depois o de matemática e raciocínio lógico e hj,recuperado o desfalque, podem então concorrer de igual para igual com os que já tiveram boa formação. E tem mais, eu fiquei mto feliz de passar em 1º mas acho que o imptt é ficar numa classificação possível de nomeação. Sendo chamado em primeiro ou último, no fim, terá o msm emprego e salário. coincide mto das primeiras colocações em diversos concursos irem p msms pessoas, mas elas terão q escolher um cargo apenas e, então, a fila anda. Eu não tenho ensino superior, mas os q tem, geralm/ prestam técnico e analista e qm passa bem p tecnico, por vezes, tb passa p analista, daí vai escolher analista e mais uma vez liberam sua vaga de tecnico p outro... Eu pensava que fazia concurso e passava qm era inteligente, no cursinho, conhecendo o tipo de pessoa q tenta e passa, descobri que passa em concurso qm "paga o preço" (de ter q estudar, de sentar numa cadeira por horas e horas estudando, de deixar por vezes de sair, de persistir e persistir). Não é fácil, todo concurseiro sabe, não é rápido, não é certo (nunca se sabe qdo e se será chamado), mas vale a pena pq se é difícil concorrer em concurso com quem tem "boa formação", imagina concorrer no mercado de trabalho privado. Bem, não sei, eu, pelo menos, acho isso!

Clara

Anônimo disse...

Clara, desculpa a curiosidade. Mas você poderia dizer quantas questões acertou (se possível de cada matéria), sua nota na prova e na redação! Só para fazer uma comparação de quanto preciso melhorar! Obrigada

Anônimo disse...

Eu acertei 49 das 50 questões, a que eu errei foi de Dir. Proc. do Trabalho e minha nota de redação foi 80.
Clara

Anônimo disse...

Uau! Preciso estudar muito! rs Você quase gabaritou a prova, por umazinha! Pra mim, é como se você tivesse acertado tudo. Mais uma vez, Parabéns. É merecido.

Pri disse...

Clara!!!
Fiquei muuuuuuito contente quando soube do resultado. Mas, antes mesmo dele sair, já tinha certeza q vc teria uma ótima classificação devida a sua enorme dedicação aos estudos. Parabéns! Vc merece!
Um grande bjo!
Pri (monitora!)

Leandro disse...

Laerte, tbm descordo de vc e sou prova de que não se deve desitir.

Para mim não existe preparação pública ou privada. Existe boa preparação ou preparação deficiente. Não dá pra negar que, embora não seja uma regra, o ensino público perde para o particular.
No entanto, dizer que NUNCA vai passar quem fez colégio público mostra uma visão extremista (como o é dos muçulmanos terroristas).

Umas das muitas cautelas dos concurseiros é a de desconfiar das palavras SEMPRE ou NUNCA em uma prova. Normalmente esta questão está errada por encerrar uma certeza absoluta, e entramos na ciência da Filosofia.

TESTEMUNHO: sou da Capital, conheci este blog por acaso, não conheço o professor Douglas, nem imagino como é este curso em SJC. Mas posso dizer que seja o melhor ou o pior ou, ainda, o mediano, a maior força vem de dentro da própria pessoa e se chama VONTADE!

Estudei integralmente em colégio público, extremamente ruim, e era mais ruim ainda porque eu não via utilidade naquele aprendizado e para piorar tinha uma família complicada que me passou exatamente o que ela recebeu de educação, mto pouco.

Qdo decidi encarar um concurso, percebendo o qto o meu ensino foi insuficiente, tive a exata percepção de que para mim a preparação deveria ser mais intensa, e isso é até hoje. Só não passo em um concurso se eu não superar uma coisa: a preguiça. A preguiça de estudar o qto for necessário, ainda que seja o dobro do que é necessário para os outros.

Resumindo, em menos de um ano eu passei empatado com o 1º colocado para Agente Fiscalização do TJSP; mas como não me chamaram não desisti e me esforcei mais ainda. Resultado: 1º colocado para Oficial de Promotoria (era só uma vaga). No último concurso de Oficial de Justiça que teve fiquei em 11º lugar.

Acho que quem quer supera qualquer desafio!

Parabéns para a Clara Ortiz, pois mesmo tendo o apoio familiar teve boa vontade de aproveitá-la. Na minha turma da faculdade 99% tiveram oportunidade de estudar em colégios particulares, fizeram curso de línguas, intercâmbio em outros países... mas pergunta pra eles se eles topam passar o domingão estudando...

Boa prova a todos no dia 11!

Leandro disse...

Laerte, tbm descordo de vc e sou prova de que não se deve desitir.

Para mim não existe preparação pública ou privada. Existe boa preparação ou preparação deficiente. Não dá pra negar que, embora não seja uma regra, o ensino público perde para o particular.
No entanto, dizer que NUNCA vai passar quem fez colégio público mostra uma visão extremista (como o é dos muçulmanos terroristas).

Umas das muitas cautelas dos concurseiros é a de desconfiar das palavras SEMPRE ou NUNCA em uma prova. Normalmente esta questão está errada por encerrar uma certeza absoluta, e entramos na ciência da Filosofia.

TESTEMUNHO: sou da Capital, conheci este blog por acaso, não conheço o professor Douglas, nem imagino como é este curso em SJC. Mas posso dizer que seja o melhor ou o pior ou, ainda, o mediano, a maior força vem de dentro da própria pessoa e se chama VONTADE!

Estudei integralmente em colégio público, extremamente ruim, e era mais ruim ainda porque eu não via utilidade naquele aprendizado e para piorar tinha uma família complicada que me passou exatamente o que ela recebeu de educação, mto pouco.

Qdo decidi encarar um concurso, percebendo o qto o meu ensino foi insuficiente, tive a exata percepção de que para mim a preparação deveria ser mais intensa, e isso é até hoje. Só não passo em um concurso se eu não superar uma coisa: a preguiça. A preguiça de estudar o qto for necessário, ainda que seja o dobro do que é necessário para os outros.

Resumindo, em menos de um ano eu passei empatado com o 1º colocado para Agente Fiscalização do TJSP; mas como não me chamaram não desisti e me esforcei mais ainda. Resultado: 1º colocado para Oficial de Promotoria (era só uma vaga). No último concurso de Oficial de Justiça que teve fiquei em 11º lugar.

Acho que quem quer supera qualquer desafio!

Parabéns para a Clara Ortiz, pois mesmo tendo o apoio familiar teve boa vontade de aproveitá-la. Na minha turma da faculdade 99% tiveram oportunidade de estudar em colégios particulares, fizeram curso de línguas, intercâmbio em outros países... mas pergunta pra eles se eles topam passar o domingão estudando...

Boa prova a todos no dia 11!

Anônimo disse...

Leandro muito legal seu depoimento! Parabéns pelas vitórias, vai inspirar mta gte! Clara

Leandro disse...

Meu depoimento vai ajudar mesmo, Clara. Principalmente se usarem como teste, corrigindo os erros de Português...rsss

Agora que eu vi os absurdos que eu escrevi...

Leandro disse...

Vai ajudar mesmo, Clara. Principalmente se usarem como exercício, corrigindo os erros de Português...rsss

Agora que eu vi os absurdos que eu escrevi!