quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Depoimento (aluno aprovado)

São Paulo, agosto de 2009


Gostaria de mostrar minha experiência nesta batalha pela aprovação em concurso público principalmente àqueles que já perderam a esperança numa mudança de vida. Não abordarei meu método de estudo (mapa mental), pois cada pessoa se adapta a um tipo que lhe é mais favorável. Farei outra abordagem: o lado emocional e a superação de obstáculos.


Fui aprovado no último concurso para Escrevente da Capital e lá trabalho desde fevereiro/2008. Mas antes do SUCESSO, o TRABALHO (ao contrário do dicionário).


Em 2007 me encontrava numa situação inédita para mim: estava desempregado. Aos 43 anos, sem nunca ter emitido um currículo (aos 18 anos entrei no Banco do Brasil, saindo aos 32 pois já possuía uma empresa comercial em paralelo) eis que a vida me surpreendeu: após 14 anos como pequeno empresário, três estabelecimentos comerciais, 40 funcionários – quebrei.


Achei que a experiência adquirida me facilitaria na busca de trabalho; achei, também, que encontraria amigos que me ajudassem: que nada. Sem emprego, sem renda, vivia com uns caraminguás que me sobraram.


Sem rumo e sem destino, já desistindo do país, um dia fui bater a porta de um amigo que conhecia de um curso do SEBRAE. Meu amigo, José Roberto Panziera, dono do Unicursos, me aconselhou a tentar um concurso público e me lembrou: “Estudar até passar”.


Mas, onde encontrar ânimo? E esperar até quando? Havia terminado a faculdade de Economia em 1987. Vinte anos se passaram. Será que os neurônios ainda funcionariam? E como pagar o curso?


Primeiro passo: fiz concurso de bolsas e obtive 50% de desconto. Com isso ganhei um monte de boletos bancários que honrosamente paguei (todos com atraso).


Começaram as aulas e a classe estava cheia. A maior parte formada por jovens ainda estudantes ou recém saídos do 2º. grau. Quais as minhas chances? Número de inscritos: 105.000! Quais as minhas chances?? Minhas chances estariam na determinação e dedicação aos estudos.


É impressionante, mas do total de inscritos quantos estão realmente preparados? Até nas aulas existem “os turistas”. Quando jovem e estudante, era normal a festa coletiva na falta de algum professor ou no cancelamento de alguma aula.


Para mostrar como as coisas mudam na vida, tenho um bom “case” para contar: numa noite saí de casa pra aula do Unicursos; R$ 10 no bolso. No meio do caminho cai uma “baita” chuva. Sem guarda-chuva, do ponto de ônibus até a escola, com certeza chegaria pingando. No desembarque vi um taxi: R$ 7. Sobrariam R$ 3 pra volta. Cheguei sequinho à aula. Sentei e...adivinhem!! Acabou a energia. Sem previsão de volta, os alunos foram dispensados.


Achei que o mundo conspirava contra mim.


Bem, depois de muito estudo, muita dedicação mesmo, chegou o dia das provas. Aquilo lá parecia um formigueiro de gente. Quantos estariam na mesma situação que eu?


Boa prova, boa nota: classificado! E fui pra digitação: tranquilo. Fui pra casa com a noção de que os tempos ruins estariam acabando. Mas... resultado da prova de digitação: reprovado por AUSÊNCIA.


Tive certeza de que o mundo conspirava contra mim. Mas nada que um bom recurso não resolvesse.


Hoje, dois anos depois, “estou” escrevente-chefe e é muito bom saber (e poder) rir das minhas próprias desgraças.


Espero que todos alcancem seus objetivos e saibam que quando Deus fecha uma porta, abre uma janela. Mas, por precaução é bom dar uma ajudinha.


Ex-aluno do Prof. Douglas

* proibida a reprodução, sem expressa autorização

9 comentários:

Anônimo disse...

Nosssa lindo mesmo!!!Não conheço o moço, mas é um sortudo! risosss, o que é do homem, o bicho não come!

Thais Dias disse...

Eu estava nesse dia que a luz acabou e também fiquei muito p da vida, pois, quem depende de ônibus sabe como é.

Parabéns pela sua força de vontade!

Raquel Solitária disse...

Parabéns e que consigamos conquistar o sucesso também!

Anônimo disse...

Nossa é muito gratificante ler este depoimento,com certeza é uma injeção de animo para quem pensa em desistir,ou acha que não vai conseguir,(assim como eu que estou desempregada e achando que não vou conseguir)que Deus possa abençoar a cada dia sua vida.

Anônimo disse...

Desculpe o autor anônimo do primeiro depoimento, mas discordo da obeservação "sortudo". Não tem nada de sorte nisso. Falar em sorte até desmerece o esforço. A qualidade da redação do depoimento é, ademais, um indicativo do potencial. Eu gostaria de saber quem é o autor do depoimento. Fez por merecer. Parabéns!

Imóveis disse...

Parabéns!
Amei!
Você merece parabéns não só por ter superado todos esses obstáculos como também por dividir isso conosco.
Obrigada!

Anônimo disse...

Douglas, como a gente faz pra deixar um recado no seu twitter? Help, não sei usar !!! Dá umas dicas aí...rsrs

Anônimo disse...

Vejo como um dos mais bonitos e realistas depoimentos. Me vejo na pessoa dele (apesar de ainda não ter sido aprovada).
Mas é um ânimo para nós que estamos desempregados, com muiiitos problemas e quase desmotivados. Existe a luz no túnel sim e não no fundo....
Devemos ter muita persistência mesmo....

Anônimo disse...

Nossa que depoimento! Não sei quem é o autor mas é uma história de superação que motiva qlq pessoa!
Depois desse, não dá nem pra arrumar uma desculpa pra não mudar o futuro!
Parabéns!!!
Clara