quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Conheça a Mara Letícia!

"Eu não gostaria de começar falando da grande luta que trava um concurseiro, nem que geralmente abandonamos nossa vida social e que passamos por muitas frustações quando escolhemos essa trajetória. Mas como não fazer isso: é a mais pura verdade!




Mas neste momento, sinto uma enorme vontade de falar sobre frustrações. Daí vocês vão pensar: 'mas que saco, lá vem mais uma'. Obviamente, cada um que passa por uma frustração, passa de forma particular, só da pessoa e sempre é complicado. Mas peço a todos um pouco de paciência e leiam com atenção.



Quando comecei a estudar para concursos, eu tinha uma idéia fixa: passar para Oficial de Justiça. Esse foi o primeiro paradigma a ser quebrado. Não dá para estudar e prestar um só concurso, poder ser que ele jamais chegue, vai saber; o mundo dos concursos é um verdadeiro enigma, não há como prever o futuro, bem às vezes sim, mas bem às vezes!



Esse foi o primeiro paradigma e a primeira frustração, pois, por pensar assim, acabei deixando de prestar um concurso para Escrevente da primeira leva depois de anos sem. Lembro-me que a nota de corte foi bem baixa em comparação aos posteriores, e eu não prestei! Resolvi que passaria a prestar outros concursos que fossem da mesma área, porque as matérias eram similares. Ótimo, barreira ultrapassada, mas eu nem imaginava que os concursos subsequentes seriam tão mais concorridos!



Assim, começou o meu inferno astral... um inferno astral de aproximadamente 7 anos.



Por essa época saíram vários concursos de Escrevente e eu estudei e prestei, prestei, prestei.



O primeiro foi para Guarulhos, Foro Distrital de Arujá. Passei na prova objetiva, passei na digitação....mas fora do número de vagas. 'Ah, legal, serviu de experiência', pensei.



Prestei MPU, não consegui; prestei Auxiliar Judiciário capital, não consegui; prestei TRE, não consegui; 'caramba'!



Veio uma nova leva de Escrevente. Prestei Escrevente SP - Capital, passei na objetiva, não consegui na digitação. Aqui comecei a me sentir incapaz. Prestei Escrevente São José dos Campos...essa foi a minha maior, pior e mais dolorosa bola na trave. Passei em primeiro lugar, vocês estã entendendo: PRIMEIRO LUGAR, tem noção do que é isso? PRIMEIRO LUGAR, 'minha nossa que demais, que pop, que admirável' mas....pasmem, eu não consegui passar na prova de digitação... Na hora que conferi no site a lista de classificados e o meu nome estava fora da lista de aptos na digitação, eu, simples assim, sentei e chorei. Colegas concurseiros, eu chorei feito criança, solucei e liguei para a 'mamãe' para desabafar a grande dor de ter morrido na praia.



Sabem o que eu fiz depois disso? Imaginem... o bom concurseiro já sabe. Isso mesmo, sacudi a poeira e voltei a toda para o estudo. Comprei livros, estudei um tempo em casa, prestei um concurso para a Prefeitura de São Sebastião, Litoral Norte de São Paulo e passei em primeiro lugar, mas ainda não estava satisfeita. Nesse ínterim, saiu o concurso de Oficial de Justiça. Voltei para o cursinho e..bem, vocês se lembram que eu disse que o mundo dos concursos é uma caixinha de surpresas , então, enquanto eu trabalhava em São Sebastião e subia para São José dos Campos nos finais de semana para o cursinho, quando eu estava acessando o Blog do Professor Douglas...estava lá que a Circunscrição Judiciária de Gaurulhos havia chamado 2 candidatos. Um deles era eu! Finalmente! Eu verifiquei no Diário Oficial no site do TJ/SP e de fato, o Tribunal estava nomeando 2 escreventes e o meu nome estava lá. Fiquei muito feliz. Senti que conseguia finalmente o que merecia. Eu já nem esperava que chamassem nesse concurso, pois faltava cerca de 15 dias para prescrever, mas foi assim que aconteceu...



Muitas coisas vieram à minha mente, após entrar em exercício; 'Nossa porque sofri tanto; nem foi tão difícil assim, etc, etc. Coisas que ocorrem quando passa o momento da descoberta da conquista. Nesse trajeto, algo que guardei e tomei como meta, foi o que um amiga me disse: 'Lê, não desista porque concurso é um investimento que sempre tem retorno, por isso não desista'. Ok, outro clichê, mas que também é verdade. Portanto, amigo concurseiro, NÃO DESISTA NUNCA, porque mais do que passar e alcançar sua meta profissional, você verá que amadureceu, que aprendeu a ser diligente, que batalhou, que foi corajoso e destemido, que conquistou, mas não é para ser arrogante não, é para ser orgulhoso, um orgulho bom!



Sentar o bumbum na cadeira e estudar não é fácil, é tarefa para poucos escolhidos, isso minha mãe já dizia.



Logo se você ainda não conseguiu é porque ainda não estudou o suficiente, nem prestou concursos bastantes (clichê, rsrsrs), não desista, estude, veja o que aconteceu comigo, você vai conseguir!"



Ah! Para os curiosos, ainda não saiu o resultado do concurso de Oficial de Justiça.



Abraços e Sucesso



Mara Letícia dos Santos da Silva
Escrevente Técnico Judiciário
Foro Distrital de Arujá

15 comentários:

Kátia Ito disse...

Oi Mara Letícia, não sei se vc lembra de mim mas eu trabalhei lá na secretaria do IBTA...
Bom, hoje não estou mais lá...trabalhei em outros lugares e resolvi entrar nessa empreitada do mundo dos concursos.
Fico feliz que tenha conseguido seu lugar ao sol e torça por mim aí tb para eu conseguir o meu.
Abraços,
Kátia.

Professor Douglas disse...

Mara Letícia,

Parabéns pelas verdades, pela sinceridade e por dizer o que muita gente precisava saber.

Abs.,

Anônimo disse...

Parabéns Mara Letícia,
Você de fato é uma batalhadora. Por muito menos, vários outros teriam desistido.
Abs.
Fernando

Anônimo disse...

adorei seu texto! alguém com uma experiência "concursística" parecida com a minha!!!!!!! já tô nessa batalha há anos, e não posso negar, é difícil continuar depois de alguns anos, levei muitos "tombos"... mas é impossível desistir. É duro acompanhar diário oficial todos os dias, ler editais, prestar concursos e mais concursos, fazer milhares de cursos e ler outros milhares de resumos, livros, apostilas... e não ver absolutamente nada!!!!! Tento me motivar todos os dias aqui nesse site e me consolar em Deus, que diz que "quem com lágrimas semeia, com júbilo ceifará..." e que a nossa colheita seja breve e farta!!!! bjs, Farelli.

Anônimo disse...

oi Mara Letícia! gostaria de te dar os parabéns pela sua conquista! mas POR FAVOR, conta um pouquinho sobre seu método de estudos! como fez pra passar em primeiro lugar?? fez cursinho, leu apostilas ou livros, fez exercícios, fez resumos????? quantas horas de estudo por dia??? aceito sugestões!!!!!!!rss um grande abraço, Farelli.

Anônimo disse...

patabéns

Anônimo disse...

Adorei o texto!! Chorei... Estudo sério há 3 anos... E... Somente para oficial de justiça... Também fiz a bobeira de não prestar para escrevente aqui na minha cidade... E no concurso para OJ - eu - muito nervosa, fiz apenas 7,8. Chorei tanto, tanto... Eu resolvia as provas de escrevente em casa e ia super bem... Que dor na alma. E... Acordei: Não dá para esperar apenas por um concurso... Caí um tombo feio... E estou me levantando... Seu texto... Iluminou minha vida!! Obrigada Mara. Obrigada Professor Douglas.

Camisa 9 disse...

Parabéns pela luta e pela vitória. Seu texto é um testemundo de vida que alimenta nossa energia e nutre nossos sonhos concursidícos!

Parabéns de novo, fiquei emocionado mesmo!

Deu até vontade de estudar mais! :D

Éric

prof.fábio disse...

Parabéns, Mara !
Você é um exemplo de dedicação, esforço, e principalmente, muita perseverança !
Um abraço e muito sucesso
Prof. Fábio Vieira

Anônimo disse...

Olá, Mara Letícia!

Gostei do seu post! Parabéns! Gostaria de saber se vc foi bem no concurso de oficial de justiça...
Tem esperanças de ser chamada?

Tudo de bom!

DANATH disse...

É isto aí, desistir, jamais!
Parabéns!!

Mara Letícia disse...

Colegas concurseiros, obrigada pelos comentários. Espero, em breve, poder postar algumas dicas de estudo e outos, como vcs me pediram, ok Farelli?!?. Kátia Ito, claro que me lembro de vc!!!! Bjão. Professores queridos, muitas vcs foram a minha inspiração, Obrigada. Agradeço tb ao Éric. Por fim, respondo à pergunta sobre Oficial de Justiça: acertei 73 questões em 80, entretanto foram muitos candidatos em SJC, por volta de 615 por vaga. Por isso eu prefiro esperar para ver como os meus outros colegas concurseiros se saíram, só dá pra saber como eu fui após os resultados, né? Abraços para todos e muito SUCESSO!!!

Anônimo disse...

eu lembro de qnd a Mara foi eliminada pela 2ªvez na digitação..achei uma sacanagem..fico feliz q vc não tenha desistido Mara..vc não vai lembrar de mim, mas estudei com vc no Unicursos e lembro q vc sempre ia bem nos exercícios..
Parabéns de verdade!! Vc mereceu passar pela perseverança...
Também não desisti, apenas mudei os focos dos concuros..rs

Abração Douglas!!

Renan Veneziani

Juliana disse...

Olá concurseiros!
Vida de estudante não é fácil... trabalhar o dia inteiro, ir para o cursinho à noite, morrendo de sono, muito menos... e infelizmente por horas o desânimo chega! Ler seu depoimento é motivador, e ajudar a persistir, mesmo quando o cansaço bate... muito obrigada pelas palavras e parabéns pela sua conquista!
Abraços
Juliana

Anônimo disse...

Boa tarde Mara Letícia
Legal a sua história. E aih, como é o trabalho em Arujá? muito puxado? o que você faz? uma pessoa que não tem formação jurídica terá muita dificuldade?
Atenciosamente
Henrique