quarta-feira, 31 de março de 2010

Conheça o Bruno Rodrigo

Olá a todos bom dia.


Conforme conversado com o Professor Douglas estou mandando esse relato para contar como foi todo o processo que culminou na minha aprovação para o concurso de Escrevente Técnico Judiciário.


Eu sempre gostei de ler os relatos alheios e por isso sei que todos seguem mais ou menos o mesmo modelo que é o famoso PERDIDO NO MUNDO - SOFRI - NÃO PASSEI - SOFRI MAIS UM TANTÃO - Aí SIM PASSEI .


Como minha história é um pouco diferente acho que vale a pena ser contada, talvez haja algum(s) concurseiro(s) que se identifiquem com ela (espero que não muitos, logo vocês saberão o porquê).


Vou fazer uma linha do tempo para tentar demonstrar como as coisas funcionam para mim. Na escola sempre fui o sexto ou sétimo aluno da minha classe (era bem puxada a escola), até aí normal, não fosse por um detalhe: eu nunca estudei (a menos que você considere acordar meia hora mais cedo pra estudar no dia da prova, estudar). Assim me formei no ensino médio.


No ano que fiz vestibular prestei Relações Internacionais (era o segundo curso mais concorrido na época só perdia para Medicina) na USP não passei, na UNESP peguei lista mas não fui chamado, passei em direito no Mackenzie mas não tinha grana para cursar, enfim fui fazer cursinho.


Aí você pensa: no cursinho ele estudou bastante e passou em Relações Internacionais certo? Errado. Decidi fazer Economia, e como minha nota do terceiro já era suficiente para passar fiquei na flauta. Resultado: passei com folga na USP de Ribeirão (dessa vez a nota me levava até pra segunda fase de medicina).


Depois de 2 anos resolvi mudar de curso, não gostava de Economia, transferi para ADM DE EMPRESAS, curso que estou concluindo. Aí o astuto leitor pensa: em Administração que ele gosta estudou e virou um bom aluno certo? Não. Minha média é 6 e qualquer coisa um pouco acima dos 5 que é o mínimo para passar.


Nesse meio tempo comecei a prestar concursos. O primeiro foi do Banco Nossa Caixa. Estudei pouco e fiquei em terceiro colocado. Excelente, comecei a trabalhar. Nesse mesmo ano prestei TRE sem estudar nada e dancei, fiquei em 965. Logo depois teve o Oficial de Promotoria e não passei por 0,5% para a segunda fase. Depois enfim o concurso de Escrevente. Fiz um cursinho de sábado para OJ (que me ajudou na parte de direito) e estudei um pouco mais. Resolvi exercicios das apostilas do professor Douglas e finalmente passei em alguma coisa na área jurídica.


Durante esse período fui promovido no Banco e o concurso de escrevente virou meu plano B. Fiz TRF estudando muito pouco, TRT rio sem estudar e não passei. TRT 15 estudei um pouco mais e teria passado se não tivesse feito uma redação horrível.


Quando eu falo que estudei um pouco, apenas para esclarecer seria uma média de no máximo uma hora por dia. Aí está o X da questão: como sempre tive as coisas de maneira fácil (academicamente falando), acabo me dedicando menos do que os outros e perdendo oportunidades valiosas.


Se alguém já passou por isso, superou e tiver a receita coloca no post. Estou tentando mudar desde 2006 e até agora nada. Enfim dois anos depois, em 29/01/2010, trabalhando de chefe no banco, com gastrite, estressadíssimo, uns fios de cabelo branco querendo nascer (isso aos 24 anos), o TJ me chama.


Aí o plano B virou plano A. Obviamente que abri mão de algumas coisas, amigos, $$$ e outras coisitas mais, mas nesse emprego vi a oportunidade de ter mais tempo para estudar. Estou feliz, bem menos estressado, e tentando melhorar.


De tudo isso posso tirar 3 conselhos:


1 - Não desperdice oportunidades como eu costumeiramente faço .


2 - TENHA SEMPRE UM PLANO B (advinha quem vai prestar concurso de banco denovo (CF) só pra ter uma carta na manga?). PODE SER QUE VOCÊ NÃO USE MAS SABER QUE ELE ESTÁ LA VAI TE DAR MUITO MAIS TRANQUILIDADE.


3 - TENHA OBJETIVOS DE LONGO PRAZO (a China planeja para 50 anos e não é a toa que é o país que mais cresce no mundo).


Por EX: eu decidi que com 30 anos quero estar ganhando um valor X, tenho 5 anos para passar em um concurso e atingir esse objetivo.

Bom acho que é isso, se alguém quiser falar comigo o e-mail é brunormen40@hotmail.com.


Ah e last but not least, quero agradecer ao professor Douglas pelo convite e pelas intermináveis horas que me aturou (e atura) no MSN.


Abraços a todos,


Bruno Rodrigo

6 comentários:

Leticia disse...

Bruno, me identifiquei com vc ... Estou prestando concursos e estes depoimentos me ajudam a seguir em frente ! Abraços Leticia

Professor Douglas disse...

Parabéns Bruno pela sinceridade e pelo sucesso!

Abs,

Douglas

Celina disse...

Rapaz, com esse potencial, o jeito é "tomar jeito" - leia-se: disciplinar-se - e encarar um concurso da Receita Federal!!! Você consegue!

Raquel Solitária disse...

Parabéns! Mesmo com tudo fugindo à regra, deu certo.

Raquel Monteiro

Anônimo disse...

Hummm eu acho que você estudava e estuda sim...hummmm

tamy disse...

acho que conheço essa história de estudar meia hora antes da prova, vivi muito isso. não sou ninguém pra passar conselho mas acho que só precisa de disciplina. ;)