segunda-feira, 3 de maio de 2010

"Duvidando até da minha própria sombra"

Dizem que o maior passo que se dá rumo à vitória é descobrindo primeiro nossos pontos fracos. Á partir deles, temos como procurar a solução para nossos problemas. Isso é muito salutar. Apesar disso, diversas pessoas relutam mexer nesses vespeiros para não se aborrecerem. Só que é pior, pois é isso mesmo que as impede de vencer. É o entrave que as distancia da aprovação nos concursos.



Eu convido os meus leitores a fazerem o mesmo que eu. Será ruim achar problemas, já lhes aviso, mas representa meio caminhado a percorrer para resolvê-los.



Eu notei que tenho dificuldade para fazer esquemas. Eu começo a fazer uns resumos no computador, mas eles ficam muito estranhos. Acabo os abandonando porque não gosto deles. Preciso achar uma alternativa a eles.



Reparei que alguns métodos de estudo usados no passado não deram certo, mas ainda não sei quais seriam os melhores para substitui-los. Tenho a sensação de que o aprendizado não engrena.



Tenho dificuldades em encarar a aprovação como uma obrigação de meio e não de fim / resultado. Explico. O concurseiro verdadeiro e esforçado tem por objetivo ser aprovado. Daí, estuda, envida todos os esforços possíveis e imagináveis para conseguir. Quando não consegue, não deve se culpar, não deve se sentir mal. Eu nem sempre consigo ter tamanho desprendimento. Preciso aprender a cobrar menos de mim.



Preciso aprender que um dia eu serei aprovada e será de repente. Afinal, como diz um amigo já aprovado num concurso excelente: "ninguém sai de casa para fazer uma prova dizendo 'hoje eu vou passar num concurso'. As coisas simplesmente acontecem". Preciso deixar os acontecimentos fluirem sozinhos.



Necessito de me manter mais atenta à leitura da letra dura-seca-fria da lei e aprender a memorizá-la melhor. Essa é a parte que eu considero mais complicada no meu estudo, pois são muitos detalhes. Eu sempre perco algum O pecado mora neles! Olhos de águia, minha gente!



Eu vou ainda conseguir criar um raciocínio jurídico mais apurado e não cairei mais nas pegadinhas que as bancas armam nas questões. Eu tenho consciência de que sei a matéria, mas essas armadilhas me pegam. Vou aprender a ficar mais esperta diante dessas questões.



Como veem, nenhum desses problemas é impossível de resolver. Defeitos e dificuldades todos temos. O que nos diferencia é a forma como os encaramos. Enfrente seus desafios de peitos abertos, leitor!



Raquel Monteiro

2 comentários:

Anônimo disse...

Pois é...
Não dá p confiar mesmo...
Geralmente as pessoas que mais gostamos são as que nos enganam...

kelmello disse...

Você acredita que uma pessoa consiga estudar todo o contéudo do edital em 60 dias ? E obter um bom resultado na 1ª fase ?