quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O BLOG ENTREVISTA!

Nome: Graziela Sgarbi de Oliveira


Idade: 27 anos

Cidade: São José dos Campos

Estado civil: solteira (união estável)

Filhos: não tenho

Nota (extra-oficial) Escrevente Capital 2010: 9,61

1. Fale um pouco sobre você.

Eu nasci em São José dos Campos, estudei a minha vida inteira no Instituto São José (escola que eu amo) e fiz cursinho no Poliedro. Com 19 anos me mudei para Campinas para cursar Engenharia de Alimentos na Unicamp. Morei lá durante 6 anos. Depois que terminei a faculdade, não tinha emprego (pois detestei o curso) e voltei para SJC. Trabalhei com meu pai (num escritório e despachante) durante 10 meses, até conseguir um emprego. Consegui entrar no Banco Itaú e me mudei para São Paulo. Trabalhei lá durante 8 meses e passei no concurso para controlador de voo da Infraero. Voltei para SJC para fazer o curso de formação, que teve a duração de 10 meses. No último dia do curso, quando foram divulgadas as vagas, eu optei por desistir, pois a melhor vaga que tinha era para Joinville e eu não quis morar longe do meu noivo. Nessa época eu estava estudando para o MPU e aguardando ser chamada para o cargo de Oficial de Defensoria Pública em Campinas, entao, fiquei aqui em SJC, onde estou até hoje. Quando saiu o edital do MPU, eu decidi desistir e estudar para escrevente do TJ/SP. Hoje eu já fui nomeada na Defensoria Pública e estou aguardando a data para tomar posse no cargo.

2. Quando decidiu estudar para concurso público?

Decidi estudar para concurso público em março de 2008, depois que terminei a faculdade e não conseguia arrumar emprego. Meu noivo e meu pai insistiram para que eu entrasse num cursinho e eu me matriculei no curso da Polícia Federal no Unicursos.

3. Você fez cursinho?

Já fiz vários cursinhos. Comecei no Unicursos na Polícia Federal, depois fiz para o TRT 2º região. Quando morei em São Paulo, fiz na Central de Concursos para o concurso de Assitente Técnico Administrativo do Ministério da Fazenda, para o TRT 15ª região e para o Bacen. Após voltar para São José dos Campos, voltei para o Unicursos e fiz para o MPU e para o Escrevente do TJ/SP.

4. Quais concursos já prestou?

Não sei se consigo me lembrar de todos.

Técnico TRT 1ª Região (2008): não fui classificada
Técnico TRT 2ª Região (2008): 5401
Analista TRT 2ª Região (2008): 241
Oficial defensoria Pública São Paulo (2008): 678
Técnico TRT 15ª região (2009): 556
Analista TRT 15ª região (2009): 771
Bacen (2009): não fui classificada
Assistente Técnico Administrativo Ministério da Fazenda (2009)
Infraero - navegação Aérea (2009): 1º lugar
Técnico Administrativo Anvisa (2010): 3403
Rescenceador IBGE (2010): 26º lugar
Petrobrás paulínia (2010): não passei
Oficial de Defensoria Pública São Paulo (2010): 14º lugar
Caixa Econômica Federal (2010): não fui classificada
Escrevente TJ/SP (2010): ?

5. Quando começou a estudar pra valer?

Quando saiu o edital do TRT 2ª Região

6. Você conseguiu uma nota incrível neste concurso de Escrevente do TJSP. Como foi a preparação?

Eu decidi fazer o cursinho do Escrevente no dia em que saiu o edital do MPU. Achei que não dava para passar na prova do MPU e resolvi encarar 1 mês e meio de estudos para o TJ. Mas só fiz essa escolha pois eu não trabalho e tenho tempo de estudar os dia inteiro.

Fiz cursinho no Unicuros de manhã. Estudava todos os dias depois que chegava em casa. Sempre começava com a matéria do dia, depois estudava um dia Processo Civil e outro Porcesso Penal, alternadamente, até à véspera do concurso. Fiz isso pois sabia que eram as matérias mais difícieis, mais extensas e que eu nunca tinha tido contato antes. Além dessas matérias, eu estudava mais umas duas por dia, alternando o restante das matérias durante a semana. Sempre estudava o que eu achava que já estava esquecendo. Todos os dias que eu tinha a aula, quando ia estudar, começava desde o ínicio da matéria, nunca estudava somente o que tinha tido naquele dia. Aproveitei no começo, quando não tinha muito conteúdo ainda, para decorar tudo de Normas da Corregedoria e Direito Penal, que eram matérias curtas e fáceis. Também li algumas vezes Constitucional e a Lei de Improbidade Adminsitrativa, pois eu já sabia toda a matéria. Procurei sempre focar nas matérias que eu teria mais dificuldade, que eram os processuais.

Usei somente o material dado pelos professores, pois Vunesp é letra de lei e não havia a necessidade de material extra.

7. Quais foram as questões que você errou na prova?

Eu errei uma questão de Atualidades (Ficha Limpa), que por uma infelicidade eu resolvi mudar na hora em que estava passando o gabarito e uma questão de português, que eu estava em dúvida entre duas, uma delas a correta, mas acabei optando pela errada.

8. O que considera mais importante para ter obtido esta nota?

Acredito que ir confiante no dia da prova é extremamente importante. Eu procurei não ficar pensando na matéria antes da prova, para não bater aquele desespero caso eu esquecesse de alguma coisa. Na ida para São Paulo, fui escutando Bon Jovi e fiquei com uma música na cabeça até a hora de fazer a prova. Acho que isso ajudou a ocupar a mente.

A ordem de fazer as questões eu também acho que me ajudou. Nessa prova, diferentemente do que eu sempre fiz, deixei português por último e comecei por direito. Fiz isso para que eu fizesse tudo o que era decoreba antes e não ficasse preocupada em esquecer alguma coisa durante a prova.

Ter calma para resolver as questões também é importante. Eu lembro que parei numas de direito. Aí eu pensava no que estava escrito na lei, exatamente, para que eu conseguisse eliminar as incorretas.

9. Como você conciliou o noivado com o estudos?

Nos dois primeiros fins de semana, meu noivo (que mora em Campinas) veio para SJC, mas eu o deixei assitindo tv e no computador no meu quarto enquanto eu ficava na sala estudando. Como ele reclamava muito que estava sozinho, eu decidi que ele não viria mais pois não compensava. Ele ficava aqui fazendo nada. Ficamos mais de um mês só nos falando por e-mail e msg no celular.

Ele só veio novamente para SJC na véspera da prova, mas ficou do mesmo jeito, pois eu estudei no sábado o dia inteiro. Ele veio pois disse que não aguentava mais de saudade, mas eu deixei claro que ele ficaria sozinho e que eu iria estudar o dia todo. E assim foi o sábado. Ele compreendeu que eu precisava estudar. Eu estava muito nervosa naquele dia e a presença dele foi muito importante, pois ele me acalmava nas horas de maior desespero.

Outra coisa que eu tive que largar também foram os exercícios físicos. Uma coisa que eu adoro, mas que me consumia muito tempo. Como o prazo para estudar era curto, eu fiz isso e sempre pensava que era só um pouco mais de um mês, que depois eu voltaria a fazer tudo o que gostava. Essa história que exercício ajuda, para mim não adianta. O que importa é ter tempo para estudar o suficiente. Se tiver que largar, paciência.

10. Deixe sua mensagem final para os leitores concurseiros e faça a “pergunta do dia”.

Eu acredito que todas as pessoas que querem passar, vão passar. O segredo, para mim, são duas coisas: QUERER e ACREDITAR QUE VOCÊ PODE.

Desde o dia em que eu fui na palestra sobre o cargo, eu quis esse cargo. Eu adorei o trabalho, era isso que eu queria. Então, a parte do QUERER, já estava feita. Depois, eu simplesmente tracei a meta e a maneira que eu ia fazer para atingi-la e ACREDITEI que eu podia e que eu ia conseguir.

Portanto, o primeiro passo é se achar. Saber o que você quer, assim como uma pessoa que quer fazer faculdade de medicina sabe que quer ser médico. Com a carreira pública é a mesma coisa. Existem infinitos cargos e atividades e ninguém consegue gostar de tudo. Cada um tem que descobrir em qual tem mais afinidades, em qual se vê exercendo aquela função.

Agora eu vou aguardar para fazer a prova de digitação do TJ. Vou treinar muito para não correr o risco de não passar. E depois que eu for chamada lá, não vou parar. Tenho meu objetivo traçado: vou reiniciar a faculdade de direito, me formar e batalhar para ser Juíza do Trabalho. É isso que eu quero desde que comecei a estudar para o TRT. É lá que eu quero chegar e tenho certeza que vou conseguir!


Agora a pergunta do dia é: Quando vai sair o resultado e quando vai ser a prova de digitação? É dura essa espera!!!!

11 comentários:

Carlos disse...

muito legal a entrevista!
grande inovação!
ótimo trabalho!

Vitória disse...

Grazi
Sou a Annachrys lá do Pci, lá da
defensoria.
Parabéns menina!!!
Sabe que torço muito por ti. Com nosso esforço vamos colhendo o nosso sucesso!

solange maria disse...

Depois dessa entrevista percebi o quanto fui displicente nos meus estudos...

solange maria disse...

depois dessa entrevista percebi o quanto fui displicente em meus estudos...

Anônimo disse...

1 - Diga a seu noivo, em meu nome: parabéns cara por pensar mais na grazi, deixando-a estudar.

2 - Passar é isso: estudar muito.

3 - Engenharia de alimentos é muito louco... Pena que vc não gostou...

Alessandra disse...

Olá Grazi, parabéns!!! Logo que vi seu nome no blog imaginei que era vc. Que vc consiga realizar seu sonho! Alessandra - turma escrevente manhã

Renata Mendes disse...

Adorei a entrevista!! Ajudou a me motivar para estudar ainda mais! Abraço! Parabéns!!!

Natalia Cesco disse...

Ai que orgulho dessa moça!!! Parabéns, Grazi. Você fez certinho, e ta aí seu resultado, mais que merecido. E pode ir tirando o "?" da sua classificação, q a gente já sabe qual eh rsrsrs.
E desejo de coração, q vc não fique muito tempo na Defensoria (experiência própria rsrs) e nem no TJ =)) Vc vai longe, parabéns!!!

sergio_patronum99 disse...

Professor, estou lutando para entrar no TJ com todas as forças da minha alma. Estou um pouco satisfeito por assim dizer, ainda tenho que fixar muita coisa, neste último concurso do TJ de escrevente. No começo do ano prestei para agente de fiscalização judiciária e minha nota foi 6,994. Este de escrevente obtive 7,45. Estou galgando a escada para voltar para a área da justiça, pois foi onde eu tive minha primeira experiência,no Juizado Especial Cível, em trabalho como estagiário do CIEE, ainda quando estava no ensino médo da rede pública estadual de ensino. Atualmente sou servidor da educação, mas a Justiça fala mais alto em meus peito. Aonde também recebi muito apoio dos funcionários que me impulsionaram para prestar concursos públicos. Desde então, estou aqui naluta

Anônimo disse...

Hj a noite está tão linda!!!!
Este blog merece um belo vídeo !!!

Graziela disse...

Eu queria agradecer a todos que mandaram as mensagens!
E quem ainda não passou, não desista! Continue estudando sempre. A hora de todo mundo vai chegar!!!
Eu não vou dessitir de chegar onde eu quero!!!
Muita força e persistência!!!SEMPRE!!!