segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Nova Enquete - Oficial de Promotoria

O que você vai fazer caso a sua nota seja 100 pontos na prova prática do Oficial de Promotoria do Ministério Público de São Paulo? E se a nota de todos os candidatos for 100?


* clique aqui e curta nossa "fan page" no Facebook

89 comentários:

Anônimo disse...

Tomara! Eu ficarei feliz, torcendo para que não tenha que repetir a prova.

Anônimo disse...

Duvido muito que isso aconteça

Anônimo disse...

O pessoal que está lá atrás não vai gostar e vai continuar a fazer de tudo para anular a prova. É o único jeito de fazer com quem está lá na frente perca pontos.

Roger

Anônimo disse...

Adoraria... mas isso seria impossível!!!

Anônimo disse...

Se isso acontecer, o IBFC estará confessando que errou. Seria uma "esperteza" muito grande da parte deles para se livrarem de ter que fazer uma nova prova, caso essa seja cancelada. Assim, cumpre o combinado com o MP e se safa dos problemas. Mostrando, ainda, confirmando o seu desrespeito e desprezo pelos candidatos. Quer dizer, eles igualam todo mundo pelo NADA.

Anônimo disse...

Se eles fizerem isso, mostra que estão é com medo disso aí que eu encontrei no forumCW.

"Eu não acredito na anulação da prova prática do nosso concurso.
Mas em outra situação parecida a prova já foi anulada, vejam:

'Despacho proferido pela excelentíssima senhora presidente do Tribunal Regional
Federal da 3ª região, em processo da secretaria de recursos humanos
Processo nº 14951/07-SEHU
Interessado: ALEXANDRE FERNANDES MANTOVANI E OUTROS
Assunto: Irregularidades na aplicação da prova prática de digitação e formatação de texto, pela Fundação Carlos Chagas, para os cargos de Analista Judiciário - Área Judiciária e Técnico Judiciário - Área Administrativa.
Despacho: Após parecer da Diretoria-Geral que, considerando o descumprimento de regras editalícias e a necessidade de garantir tratamento isonômico a todos os candidatos e a transparência dos atos administrativos, recomenda que a prova prática seja anulada e reaplicada pela Fundação Carlos Chagas, foi proferido despacho; fls 146 "Acolho o parecer da Diretoria-Geral. Oficie-se à Fundação Carlos Chagas. S.P. 28/11/2007'".
FONTE: DIÁRIO ELETRONICO DA JUSTIÇA DO TRF3"

Celina Moutinho disse...

Bem, eu tenho certeza de que fiz mesmo os 100 pontos. Mas, se a prova é classificatória e eliminatória, seria uma grande injustiça que todos ficassem com a mesma nota! Além disso, o objetivo de ver quem está capacitado para assumir a função vai se perder... Não acho justo.

Anônimo disse...

Sou contra os 100 pontos pra todos, visto que a 2.a etapa era pra saber quem era quem de verdade. Sou a favor da reaplicação da prova, pois quem foi bem, nao vai ter o que temer, e quem foi mal não vai ser prejudicado. Giovanni.

Andréia Bariani disse...

Não me sentiria beneficiada em nada se isso acontecesse.
Estive lendo as postagens dos colegas, hoje. Há comentários, dizendo que os que estão reclamando são justamente os que foram mal na primeira prova.
O concurso tem duas fases. Se eu não fui tão bem na primeira e posso melhorar a nota, por meio da segunda fase, qual o problema nisso???? Existem algo errado???A meu ver, não!
Da mesma forma que me preparei para a prova objetiva, preparei-me para a prática e investi nela, também!
Puxa, isso é um concurso! Somos todos candidatos; somos concorrentes! A verdade é essa, minha gente!
Nem por isso, vou defender que nada seja feito.
No meu caso, ao constatar a situação, tentei não me desesperar pois, a única coisa que pensei, na hora, foi: de qualquer forma, isso não será resolvido aqui e agora.
Ainda assim, houve muita gente que teve seu desemprenho prejudicado pelo nervosismo diante de algo tão inesperado.
Eu achei um absurdo ter de assinar um papel onde não constava o que eu havia feito; até porque aquilo foi uma solução encontrada emergencialmente. Nada daquilo foi previsto.
Peço desculpas aos colegas que defendem que não deva ser feita outra prova, mas eu sou, sim, a favor disso. Não sou a favor da atribuição de nota máxima a todos. Se isso for feito, a razão dessa segunda prova deixará de existir.
Mesmo que seja complicado refazê-la, seria mais justo.
Puxa vida, o rapaz, na cara dura, chamando a todos de "burros".
MEU CARO, SAIBA VOCÊ QUE DE BURRA EU NÃO TENHO É NADA.
ANTES DE OFENDER AS PESSOAS, PERGUNTE-SE SE O BURRO NÃO É VOCÊ, AGINDO DESSA FORMA. ALIÁS, O SEU NOME, QUAL É?
Como eu disse, acima, estamos passando por um concurso. Cada um se vira como pode para conseguir o que quer, desde que isso seja feito com honestidade e seja mediado de forma justa e competente.
Sou a favor de outra prova. Se isso não acontecer, paciência.Aceito.
O que não se pode esquecer é que, aqui, estamos expondo nossas opiniões.
O problema é que algumas pessoas se dão ao trabalho de entrar aqui para ofender os outros.

Lucas Vieira disse...

Sempre terá os barraqueiros para querer anular isso e aquilo.

Anônimo disse...

Ora, se todo mundo obtiver 100%, ninguém poderá recorrer daquilo que não o prejudica. Por outro lado, todos terão consciência que a prova prática, reflexamente, foi anulada por não ter sido eficiente, eficaz e efetiva na aferição da capacidade digitatória de quaisquer candidatos. Sendo tal etapa do certame, mesmo indiretamente anulada, obviamente deverá ser reaplicada.
Se anular fica feio, não anular ficará mais feio ainda.
A reputação da organizadora já está seriamante comprometida; o MP não se compactuará com as evidências das irregularidades ocorridas.
Em resumo: se todo mundo obtiver 100 pontos, ninguém precisará fazer nada, pois certamente o MP agirá como fiscal da lei, defensor da sociedade e dos interesses individuais homogêneos.

Anônimo disse...

O pessoal tem falado muito do Princípio da Isonomia. Mas se ocorrer uma anulação, apenas alguns serão beneficiados. Todo mundo teve adversidades. A minha prova atrasou mais de uma hora e meia, e por conta do calor, fui fazer a prova cansado e com dor de cabeça. Mas ao contrário de muita gente, que já foi com a ideia de causar, eu fiz a minha parte e terminei a digitação. Não vi se a minha formatação ficou certa depois que saiu impressa na folha, mas acredito que a avaliação será pelo Log. Na minha sala não teve nenhum desses problemas relatados. Continuo afirmando que é uma pequena parte que teve problema. E dessa pequena parte, muito dos que tiveram problemas foi por incompetência. Já vi gente falando que vai entrar com recurso porque tinha palavra escrita errada e por causa que o texto sumiu, porque tentaram usar atalho em um programa desconhecido.

Roger

Anônimo disse...

A forma que foi feita a prova já contraria o edital, sendo motivo de nulidade.Independentemente de prejudicar este ou aquele.
Quando digitamos e formatamos qualquer texto, estamos acostumados a ver o que estamos fazendo. Não fomos avisados de que seria dessa forma. Feriu o princípio da publicidade. Essa prova foi feita de modo traiçoeiro e desonesto, ferindo o princípio da moralidade.Eficiência, então, passou muito longe. Funcionários pareciam "baratas tontas". Impessoalidade, nenhuma, pois houve candidatos que puderam refazer a prova.
Legalidade, então nem precisa dizer.
Não tem como não anular. O justo e correto é que todos tenham a oportunidade de mostrar o que sabem, dentro de regras claras.

Anônimo disse...

A forma que foi feita a prova já contraria o edital, sendo motivo de nulidade.Independentemente de prejudicar este ou aquele.
Quando digitamos e formatamos qualquer texto, estamos acostumados a ver o que estamos fazendo. Não fomos avisados de que seria dessa forma. Feriu o princípio da publicidade. Essa prova foi feita de modo traiçoeiro e desonesto, ferindo o princípio da moralidade.Eficiência, então, passou muito longe. Funcionários pareciam "baratas tontas". Impessoalidade, nenhuma, pois houve candidatos que puderam refazer a prova.
Legalidade, então nem precisa dizer.
Não tem como não anular. O justo e correto é que todos tenham a oportunidade de mostrar o que sabem, dentro de regras claras.

Anônimo disse...

Já postei isso, mas é bom lembrar, pois o fato é verídico.
Fui nomeada para um concurso eivado de vícios insanáveis. O MP, já na fase de inscrições propôs ação para anulação do concurso, entretanto, a empresa - Vunesp, conseguiu uma liminar e prosseguiu com o certame. Conforme disse, fui nomeada e lá trabalhei por 5 anos, quando pedi exoneração.
A ação nestes 10 anos está no STF - última instância e a instituição perdeu todas até agora. O prognóstico é desfavorável e se a sentença se confirmar em desfavor da mantença do concurso, todos os nomeados estarão na rua, pois a nomeação será anulada, não é exoneração, pois seria como se eles nunca tivessem sido nomeados. Claro que não terão de devolver aos cofres públicos o que receberam nesse período, pois seria enriquecimento sem causa para o governo, mas o prejuízo a estes servidores é notório.
No caso do concurso para Oficial de Promotoria, sempre haverá descontentes, como os que esperavam conseguir melhorar a classificação com a prova da segunda fase, então, visto que houve muitos vícios, o melhor para todos seria a anulação da prova de digitação e formatação e nova prova ser marcada. Não desejo passar pelo mesmo transtorno de outrora.

anderson disse...

chorar.

Anônimo disse...

Roger, pelo seu nome, você deve ter feito a prova perto das últimas turmas, quando a situação já estava contornada. Mas coloque-se no lugar dos primeiros que fizeram a prova. Vai dizer que a culpa é dos pais deles que lhes deram nomes com a letra A? As pessoas que fizeram a prova depois já tinham sido informadas dos problemas e estavam prevenidas. Só aí já foi por terra o princípio da igualdade.
Quem sabe faz certo sempre. Não há que ter medo de uma nova prova. Eu fui muito bem e sei que posso fazer tudo de novo, mas vencer com base na injustiça não é o meu feitio. Se continuar assim, aqueles que foram pegos de surpresa, estarão sendo roubados.

Anônimo disse...

Fui bem e nao quero que anule, pque tenho medo de ir mal na segunda prova : nao quero que anule.
Fui mal por causa do sistema e nao por falta de competencia : Quero que anule.
Simples assim. Muito facil falar que esse ou aquele candidato ( ou todos que foram mal ) está de "mimimi" inconformado pque foi mal. Estranho é 80% ou mais dos candidatos terem ido mal...rs.. SORTE, é a palavra certa pra quem foi bem, pois simplesmente pegou uma maquina que nao deu pau. Giovanni.

Anônimo disse...

Roger,
Você só pode ser da IBFC ou está muito por fora da situação. Em Santos, só na minha turma foram uns 10 que tiveram problemas com a formatação. Fiquei sabendo depois que a prova atrasou um monte, devido a esses problemas: Texto sumindo, formatação que não condizia com o que realmente havia sido feito... Você não conhece as pessoas que tiveram problemas na prova e não sabe do nível de capacidade das mesmas, portanto fica quietinho!
Gislene

Anônimo disse...

Gislene.
Você defende o seu e eu defendo o meu. Tá todo mundo reclamando da formatação. Agora cá entre nós. Vocês acham impossível alguém não tirar 20 pontos nela? Vai ser corrigido pelo Log. O que eu não aguento é ver gente reclamando, sendo que nem saiu o resultado ainda. E a maioria das coisas que vocês acham que aconteceu são boatos. Ou alguém aqui viu algum candidato refazendo a prova? Tem gente que vai entrar com recurso porque leu em alguma comunidade no Orkut que aconteceu tal coisa, sendo que não viu. Eu não vi ninguém da minha turma reclamando. E também não vi ninguém da primeira turma reclamando na saída.

80% dos candidatos foram mal? Onde pegaram esses dados? Se for através de algum forum na internet, pode ter certeza de que são as mesmas pessoas reclamando, com vários perfis.

Roger

Anônimo disse...

Todo mundo tem o direito de questionar e entrar com recurso. Agora quanto a anular, não somos nós que vamos decidir. Então não adianta ficar chorando aqui.

Roger (e não sou da IBFC)

Anônimo disse...

Ao anônimo que postou sobre o concurso que teve a nomeação anulada, por favor me passa o link ou uma fonte que confirme que isso que você falou é verdade.

Roger

Anônimo disse...

Roger,
Vc tem todo o direito a sua opinião, só não venha questionar a competência dos que, por uma infelicidade, enfrentaram problemas na prova. Vc não é o onisciente e nem onipresente para saber o que se passou com todo mundo.
Gislene

Má disse...

O mais justo é reconvocar os que se sentiram lesados, como ocorreu com o exame retrasado do ENEM. Que pegou a prova amarela e teve dificuldades, pois os enunciados estavam trocados, teve a possibilidade de fazer uma nova prova. Quem não teve o problema, não precisou passar pela avaliação novamente. Acho que isso seria uma forma de esgotar as vias admnistrativas, sem a necessidade de impetrar mandado de segurança coletivo. Como fui lesada, espero resolver isto da melhor maneira possível.

Andréia Bariani disse...

Roger,
Você citou, em outra postagem, que os que reclamam são a minoria; inclusive, citou que essa minoria corresponderia a 1%.
De onde você tirou estes dados?

Bom, vamos ver no que dá, então, quando o resultado sair.
Conferi minha formatação 2 vezes. Embora não estivesse na tela, constava nas configurações. Conferi, também, meu texto; deu tempo de digitar e corrigir. Sei que fiz tudo certo.
Agora, quando sair o resultado, me pergunto como é que poderei saber exatamente o que foi que errei, caso minha nota não seja a que espero, já que assinei uma folha nada a ver com o que fiz...
Oh, my God! Que sofrimento!!
Agradeço imensamente se você puder me responder essa pergunta, pois sou muito ignorante com relação a T.I. e em relação a muitas outras coisas.
Ora, ora...como sou idiota...em vez de esperar o resultado, fico aqui sofrendo por antecipação....
E, convenhamos, né gente, não há motivo algum para isso!!!!

Ah...Vunesp...eu te amo!

Anônimo disse...

Roger,
vc tem todo o direito de defender o seu, não é disso que eu estou falando. Vc não é onisciente e nem onipotente para avaliar a competência dos candidatos que, por uma infelicidade, tiveram vários problemas com a formatação. Definitivamente, vc foi infeliz no seu comentário.
Gislene

Anônimo disse...

Seria como se não houvesse uma segunda fase nesse concurso....e perderemos a chance de melhorar nossa classificação geral! Seria péssimo! Temos que repetir a prova!É o justo!

Anônimo disse...

Estou falando o que aconteceu comigo e a minha sala. O que eu não é aguento é ver gente exagerando e aumentando o problema, baseado em histórias que leram em algum forum na internet. Juntando os candidatos que fizeram a prova no interior e capital, acredito que foram por volta de 3000, é claro que um ou outro computador vai dar problema. Se sentiu lesado, espera o resultado sair e entra com recurso. Só que tem muita gente que foi mal (como na primeira fase) e quer causar tulmuto, querem arranjar uma segunda chance de fazer a prova. É isso que eu não acho certo. Sei que apelei quando disse que foi apenas 1% que teve problemas, mas continuando achando que o número de "prejudicados" foi baixo.

Roger.

Anônimo disse...

Verdade, os prejudicados dão por volta de uma duzia, no estado inteiro, por aí...rs...
Não precisa nem perguntar se vc foi bem, e se está desesperado com a possibilidade de ter que refazer a prova...rs.. ( medo )

Luciana disse...

Na minha singela opinião seria muito justo...tanto para quem se sentiu prejudicado como para aqueles que julgam ter ido bem, uma vez que será utilizado o princípio da isonomia.

Anônimo disse...

Gente, que estresse é esse? A prova foi maravilhosa, deu tudo certo só um ou outro fracassado é que reclamou, para tentar tirar os bons. Quem liga prá isso?
Reclamamos à toa, porque não temos o que fazer. Somos uns vagabundos que não estudamos nada não investimos nossa energia e nosso tempo, não sacrificamos a atenção à nossa família, e só queremos nos dar bem.
Se essa merda de prova f... a nossa nota na objetiva, problema nosso. Afinal, somos vagabundos querendo nos dar bem.
Recursos, pelo que já vimos dessa desorganizadora de concursos e de vidas, podemos esperar apenas o pior.
Devemos nos preparar para atitudes mais drásticas contra todo esse mal, defendendo nosso direito, nossa cidadania. Ações judiciais.
Talvez possamos embargar o concurso até que seja anulado.
Com a minha vida ninguém vai brincar.

Anônimo disse...

Temos que levar em consideração a inexata aplicação da prova prática, pois, ao meu ver, seria de 11 minutos para digitar, e não 11 minutos mais 5 para usar como queira. O edital dá a ideia de 11 minutos cravados para a digitação, e acredito que com esse acréscimo muita gente que não digita muito bem foi favorecida, e os que poderiam passar na frente dessas pessoas foram prejudicadas. Termos um ou outro problema nas máquinas e mesmo nos softwares é absolutamente normal, agora o descumprimento do edital não é normal.

Anônimo disse...

Fiz a prova no interior, no meu caso o programa funcionou corretamente. Digitei primeiro o texto depois apliquei a formatação e por último conferi se não havia algum erro na digitação e formatação. Na minha sala duas pessoas reclamaram que a formatação foi feita, mas não apareceu na tela. Os fiscais disseram que isso estava acontecendo, mas também informaram que não haveria problema já que o que importava era o preencimento dos campos quando se acessava as opções pelo menu.

Acho um absurdo. Se recebêssemos na primeira fase um cardeno de questões com uma coisa escrita e se "de boca" o fiscal dissesse que tal questão na verdade tinha uma redação diferente, essa questão seria anulada da prova.

O que aconteceu no domingo foi um teste de um programa que apresenta problemas, mas não era isso que deveria ter ocorrido. Deveria ter sido uma prova prática, sem ambiguidade, sem erros ou margem para qualquer recurso. Tal qual qualquer prova escrita precisa ser.

Defender a IBFC é o mesmo que aceitar um roubo ou uma distorção de qualquer Lei.

Sou contra dar 100 para todos, isso seria a maior cagada da IBFC, maior até que o programa "bugado" que eles usaram.

studium disse...

Confesso que fiquei decepcionado com essa segunda fase, não acho que seria justo 100 pra todos, apesar de achar que me beneficiaria.

Grazy disse...

Seria a solução mais ridicula por parte da banca. É a mesma coisa de anular e não ter mais a prova...Não concordo mesmo. Tem q anular essa droga e fazer direito, com um programa q funcione e dando a mesma chance a todos. E os melhores ficarão na frente. É assim q funciona, é assim q tem q ser.

Anônimo disse...

Segue o link com o concurso que está ameaçado há 10 anos de anulação por vícios no edital, do qual me referi anteriormente: http://www.itesp.sp.gov.br/br/info/noticias/ntc_295.aspx
http://www.reporterdiario.com.br/Noticia/122144/ato-de-funcionarios-do-itesp-pede-realizacao-de-concurso

Portanto, eu sou a favor de uma nova prova de digitação e formatação o que evitaria uma possível anulação do concurso.

Roni disse...

A imcopetência da banca só gera mais e mais problemas... Alguns candidatos querem a anulação por que foram mal e desejam uma segunda chance, outros, por que realmente foram prejudicados. Há os que não querem a anulação por que foram bem e pretendem melhorar sua classificação, ou ainda, por que temem que os outros candidatos melhorem seus desempenhos.
O pior é ser nomeado e depois ser surpreendido por uma decisão judicial invalidando o concurso. Assim fica difícil...

Anônimo disse...

Sinceramente não seria prejudicada em nada, porque fui muito bem na primeira prova, entretanto, ainda assim não gostaria que fosse essa providência tomada. Preferiria perder colocações de uma maneira justa, do que manter a minha boa colocação de uma maneira arbitrária.

Anônimo disse...

Olha Roger, não sei onde você realizou a prova. Mas em Campinas MUITAS pessoas tiveram problemas com textos sumindo da tela, além da formatação que foi problemática para todos.

Anônimo disse...

Roger,

Eu fui da primeita turma, e os fiscais foram todos pegos no susto e nós também. Desde o meu primeiro post estou dizendo que fui bem na prova por SORTE de ter entendido as falhas do sistema a tempo, pois meu texto também sumiu qdo andei com o mouse e te digo meu colega, o desespero é tanto, que eu quase desisti, achando que eu havia feito merda. Porém, muitas outras pessoas da minha sala nao perceberam a tempo. Eu não estou dizendo que me contaram, EU VI várias pessoas que digitaram 2 ou 3vezes a mesma linha porque ela sumia.

Pelo que ando vendo o pessoal que fez a prova em outros horários foram avisados de todos esses problemas, o que é injusto.

Eu também preferiria não ter que refazer a prova, mas não acho certo com quem não foi avisado dessas falhas do sistema.

Eloisa

Anônimo disse...

Ah, só mais uma coisa galera!!

Melhor esquecer essa discussão, e esperar por alguma posição deles. Vamos seguir com nossa vidinha que ganhamos mais! Liguei lá e eles disseram que o resultado só sai daqui a 10 ou 15 dias! Daí a gente vê o que faz...

Beijos e bons estudos a todos! Eloisa

Anônimo disse...

Fazer vista grossa para o problema... é o fim da picada!
É de causar espécie os comentários rasos do pascácio...

Nanda Sjc disse...

ai gente, é apenas uma enquete!
cada um dá sua opinião e fala o que querrrr.

eu acho justo que a prova seja reaplicada, se outro não acha... não acha e ponto.

Anônimo disse...

Não sofreremos por antecipação. Conforme foi dito nesse blog, o resultado saí amanhã(eu duvido por ser feriado), então quando sair correremos atrás dos possíveis erros de sistema e dos responsáveis.

Anônimo disse...

Roger,
Eu fiz a prova duas vezes. Vocês acham justo? por mim está ok do jeito que está.
Tiago

Anônimo disse...

Acho que as coisas devem ser justas e cada um avaliado pelo seu esforço,gostaria muito de saber qual foi meu real desempenho na digitação e poder acreditar plenamente na avaliação da IBFC; dar 100 para todo mundo seria uma maneira de abafar todos os problemas ocorridos e diminuir a credibilidade da instituição.

Rafael disse...

Acho que seria a melhor maneira de se resolver o problema.Ninguém teria do que reclamar...afinal essa prova de digitação, no meu ponto de vista, não classifica os melhores, mas sim aqueles que tiveram sorte e muitaaaaaaa calma.

Anônimo disse...

Pelos comentários e pelo que ocorreu em minha turma, os que tiverem problemas não foram poucos, não. Na minha sala do total de 33 candidatos, 20 encaixam-se nessa situação pelo que tive tempo de contar. Inclusive eu.
Acho apropriado, justo e de acordo com a lei que a prova seja refeita.
Entrei no concurso para concorrer com quantos fossem necessários e sobre as condições mais adversas que me fossem impostas.
Por isso disponho-me a nova prova.
E antes que algum "vidente" comece a montar meu perfil e a apresentar justificativas para a minha opinião declaro também que:
- estou classificado provisoriamente em 90 para uma das regionais do interior
- sou do judiciário estadual e trabalho na Capital, 2ª Instância
- este não é meu primeiro concurso, tampouco o último. Estou nessa há tempos
- curso Administração Pública
- e, já tenho 37 anos. Não sou moleque para ficar espalhando opiniões e comentários insensatos ou desnecessariamente depreciativos sobre o concurso e outros candidatos

Anônimo disse...

Eu fiz prova com a primeira turma na capital e realmente foi tudo muito inesperado. Acho que ninguém esperava tamanha desorganização. Depois de todo o atraso, conforme fomos terminando a digitação e começando a formatação do texto, todos começaram a ter problemas; os fiscais não sabiam dizer o que estava acontecendo, disseram que não tiveram acesso ao programa antes da prova, uma bagunça mesmo. E digo porque estava lá: pessoas refizeram, sim, a prova. Como até então ninguém sabia que a formatação não era aplicada ao texto, quem reclamou que o programa não respondeu aos comandos teve a oportunidade de fazer de novo.
Para mim, não é uma questão de ter ido bem ou não nas provas. Como outros já disseram, é uma questão de dar oportunidade igual a todos os candidatos. Da mesma forma que nós fomos prejudicados por sermos os primeiros a fazer a prova, fomos beneficiados por termos a chance de refazer a prova. Acho que o mais certo seria mesmo anular esta prova e fazer uma nova.

Anônimo disse...

Gente pelo amor de Deus, não escrevam que só estão reclamando quem foi mal na prova objetiva, na minha sala a pessoa que passou em 1º lugar foi prejudicada, sua formatação aplicada não funcionou; assim como a minha e a de demais pessoas, tivemos que digitar com fonte tamanho 8 enquanto outros digitaram com fonte tamanho 12, facilitando muito mais na hora de procurar erros, fora a tensão durante a digitação, que apontava a fonte tamanho 8 e não 12(pedida), perda de tempo chamando o fiscal e o mesmo falando que na impressão tudo se normalizaria(saiu exatamente como estava na tela), computadores desligando, textos digitados sumindo da tela, e na impressão reaparecendo duplicados.O fiscal da sala pediu para relatarmos na folha impressa o ocorrido, e o mesmo assinou embaixo, dizendo que o que importa é o arquivo gravado, mas quando se digita um texto e aplica a formatação e salva o arquivo o que foi impresso é o que será gravado, pois tudo leva a crer que o comando que mandava imprimir era o que salvava o texto no arquivo.Na minha opinião e na de outras pessoas, o que houve foi um erro no programa, que o impediu de aceitar as formatações aplicadas, em nosso caso, nem depois digitado o texto nos dava a opção de formatá-lo novamente, tudo ficava inabilitado.O problema foi relmente muito grave. Onde está o principío da igualdade tanto para quem passou em primeiro lugar como para quem passou em último, lei existe para ser cumprida.Justiça nesse caso é a anulação da prova

Anônimo disse...

Fiz meu relato do ocorrido ao MP: ouvidoria@mp.sp.gov.br e pedi a anulação desta 2ª fase e marcação de uma nova, pois não quero ser surpreendida depois de nomeada com a anulação deste certame. Quem foi bem na 1ª prova da 2ª fase irá bem na 2ª prova a ser marcada, não há o que temer.

Anônimo disse...

Não adianta ficarmos aqui, entre nós, discutindo o que todos já sabemos. Eu mandei um e-mail para a ouvidoria, relatando a MINHA experiência nessa prova (o que realmente aconteceu comigo e como me senti) e pedi para refazer a prova. Agora é só esperar.

Anônimo disse...

Eu acho melhor mandar as reclamações para a ouvidoria antes de saírem os resultados, a fim de não dar nenhuma chance ao IBFC de se safar dessa.
O certo, na minha opinião é anular a prova, independentemente de qualquer resultado.
Foi um ato administrativo ilegal e deve ser anulado. Não tem como convalidar.
Para nós melhor que seja logo, porque se sair o resultado e ficar como está, poderá até ser anulado no judiciário mais para a frente, com efeito ex-tunc, e quem for nomeado nas condições atuais estará correndo o risco de perder o cargo e não terá o que fazer.
Melhor que as coisas sejam feitas dentro da legalidade. Assim, quem passar e for nomeado, não terá o que temer.
Nós devemos exigir que se faça o certo, principalmente porque se trata do Ministério Público, onde as coisas devem correr direitinho.
Se não for lá, onde mais?

Anônimo disse...

Anônimo.

Obrigado pelo link que você me mandou sobre o concurso que está com problemas faz 10 anos. Mas a notícia é de março de 2008. Muita coisa deve ter acontecido nesses 3 anos e meio, não é?

Não vou discutir mais nada. Só peço para o pessoal ficar calmo e esperar sair o resultado, para aí sim falar em recurso.

O que eu não aguento é ver gente mandando e-mail para a ouvidoria do MP EXIGINDO a anulação do concurso.

Sem stress, pessoal.

Roger.

Anônimo disse...

Roger,

A notícia é de 2008 e ainda está assim, como vc viu... Pô, Cara, é só procurar.. vc tem o nome da instituição que realizou o concurso, tem o nome da Instituição contratante, o que mais vc quer? Difícil, hein...Leia então a decisão de 2011, quem sabe agora vc se convença. Eu estive na instituição e tenho colegas que ainda estão e estão para perder seu cargo a qq momento...cara:

"RECURSO ESPECIAL Nº 1.088.096 - SP (2008/0215696-3) (f)
RELATORA : MINISTRA MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA
RECORRENTE : IBRAHIM ANTÔNIO JORGE FILHO E OUTROS
ADVOGADO : ALBERTO LOPES MENDES ROLLO E OUTRO(S)
RECORRENTE : FUNDAÇÃO INSTITUTO DE TERRAS DO ESTADO DE SÃO PAULO "JOSÉ GOMES DA
SILVA" - ITESP
ADVOGADO : CELSO PEDROSO FILHO E OUTRO(S)
RECORRIDO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO
INTERES. : FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO
PROCURADOR : PATRÍCIA ULSON PIZARRO WERNER E OUTRO(S)
RECURSOS ESPECIAIS. PROCESSO CIVIL. SUPERVENIENTE ANULAÇÃO, POR ESTE
SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, DO ACÓRDÃO ORA IMPUGNADO. RECURSOS
PREJUDICADOS. REMESSA DOS AUTOS À ORIGEM."
http://www.stj.jus.br/SCON/decisoes/toc.jsp?tipo_visualizacao=null&livre=itesp+e+anula%E7%E3o&b=DTXT

Anônimo disse...

Roger,

Independentemente de resultados, recursos e tudo mais, não há o que sane um ato ilegal. Ele é NULO. Efeito ex-tunc.
Se isso não for refeito agora, irá arrastar todo esse mal para o futuro,pelo menos enquanto estiver ocupando o cargo.
E quem for nomeado nessas condições passará a vida com uma espada na cabeça.
Eu estou em uma excelente colocação, fui muito bem na segunda fase,sei que serei nomeada, mas quero que isso aconteça com a garantia de que não terei problemas no futuro, ou pelo menos até passar em um concurso federal.
É como você comprar um imóvel. Precisa de todas as certidões, tudo que garanta que não vai perder.
Melhor fazer tudo certo, passo a passo, todos ps trâmites perfeitos.
Da forma errada que já começou, resultado a essa altura não vale nada.

Anônimo disse...

Anônimo.

Eu vi. Você tem razão.

Mas eu ainda acho que o caso da prova de Oficial é totalmente diferente desse da Itesp.

Como eu disse, e continuo insistindo, vamos aguardar o resultado e nao ficar EXIGINDO anulação.

Eu acredito que tem gente que foi prejudicada, só que tem muito oportunista, que foi mal, por incompetência, que está aproveitando a carona no barco.

Quem foi prejudicado, terá todo o direito de recorrer. Agora, os oportunistas terão de provar.

Sem stress.

Roger

Anônimo disse...

Pessoal.

Não sou eu e ninguém daqui que vai anular o concurso ou a prova prática.

Se anular, eu farei de boa novamente, pois não tenho medo como alguns aqui falaram.

Só que se realmente isso ocorrer, estará se invertendo os papéis dos prejudicados. Os que foram prejudicados serão beneficiados e os que forão beneficiados serão prejudicados.

E repito, é uma pequena parcela que foi prejudicada na prova. Se for para ser feito algo, que seja em relação aos que foram prejudicados e não a todos.

Roger

Anônimo disse...

"E repito, é uma pequena parcela que foi prejudicada na prova."

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Parei aqui ! mais de 80% de bugs estado a fora, e o camarada querendo minimizar o estrago, pra desistimular a anulação..kkkk

Anônimo disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
figurassa né

Anônimo disse...

Será o primeiro concurso do colega Roger?? Não tem como fazer nova prova somente p/ os prejudicados, se for ter, é para TODOS!!! Pois se houve prejudicados é porque não houve igualdade!! Difícil entender, né?!? Eu não fui prejudicada, mas e daí?? Faz e pronto.

Anônimo disse...

Um detalhe, "pequeno detalhe" que até agora ninguém percebeu: PRAZO ENTRE EDITAL E PROVA PRÁTICA mesmo sendo para a segunda fase deveria respeitar os 45 dias, de acordo com a lei. Tô certo ou tô errado??? Nunca vi uma prova ser marcada para 8 dias.
Na prova de escrevente do TJ é assim.

Anônimo disse...

Nem adianta querer desestimular a anulação. O ato é ilegal e portanto nulo. Mesmo que nada seja feito na via administrativa - e seria burrice não corrigir agora, porque mais prá frente vai sair mais caro para todos - exista a via judicial, que, dependendo da forma que se entra, pode ser gratuita (se couber ação popular).
O que está acontecendo aqui pode, sim, ser objeto de ação popular, porque o IBFC está cometendo um ato de improbidade administrativa contra os princípios da administração, frustrando a licitude de concurso público.

Anônimo disse...

Roger, eu acho que você não está entendendo muito bem o que realmente está acontecendo.
Não é o fato de quem foi prejudicado ou beneficiado.
É muito mais sério do que isso.É gravíssimo.
A questão aqui é de cidadania. É a falta de respeito pelos candidatos, por parte desse instituto.
Eles feriram todos os princípios.
Não é com "panos quentes" ou com soluções "tortas" que se vai resolver. Chega de jeitinho brasileiro.
O mais barato, ainda,para eles é corrigir a situação, refazendo a prova da forma correta.

Anônimo disse...

Olhem o que ocorreu com o certame para analistas e técnicos judiciários do TRE-SC e vejam se se aplica ao caso: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=184785&tip=UN

Anônimo disse...

olá...

Anônimo disse...

Vc ta por aí????

Anônimo disse...

Anônimo 1 diz: Mandei um e-mail para o MP exigindo a anulação do concurso (talvez o promotor fique com medo e ele anule o concurso)

Anônimo 2 diz: Entrarei com Mandado de Segurança Coletivo (qual a associação de recurseiros que nos representará?)

Anônimo 3 diz: Princípio da Isonomia já (E porque para igualar os que foram prejudicados, tem de se prejudicar a todos, 90% que não teve nada a ver com a prova? O mais correto seria resolver o problema dos poucos que foram prejudicados)

É fácil vir aqui nesse blog e se esconder atrás da internet e ficar corajoso. Por que não fizeram isso no momento da prova?

Roger

Anônimo disse...

Acabei de ver no outro tópico, mais uma reclamação de outro anônimo (ou seriam sempre os mesmos?)

A maioria das coisas que ele relatou no e-mail que enviou para o MP, terá de provar, pois são apenas suposições que ele leu no forum do PCI (outro que está impregnado de anônimos valentões).

O anônimo mesmo confirmou que se desestabilizou emocionalmente e por isso foi mal na prova prática. Isso não é motivo para anulação.

No edital de convocação para a prova prática dizia que seriam 16 minutos (portanto o tempo foi respeitado), então por isso em relação ao tempo não há como reclamar.

17.8. Os itens deste Edital poderão sofrer eventuais alterações, atualizações ou acréscimos enquanto não
consumada a providência ou evento que lhes disser respeito, até a data de convocação para a prova
correspondente, circunstância que será mencionada em Edital ou Aviso a ser publicado.

Roger

Anônimo disse...

Achei interessante o link que o anônimo postou. Vou colar algumas partes:

Além disso, os advogados argumentam que a decisão do CNJ se basearia em denúncias formuladas por e-mail em meio a uma verdadeira “guerra midiática” travada após o certame, sobretudo pelos candidatos reprovados no concurso. Também se assentaria em premissa equivocada para justificar a caracterização da violação aos princípios da impessoalidade, da moralidade e da isonomia. Por fim, sustenta a defesa que a alegada falta de confiabilidade do certame não pode resultar na sua anulação.

Em sustentação de seus argumentos, a defesa alega que, para se anular um concurso público, “é imperativo demonstrar que os vícios identificados revelam-se substanciais, que eles comprometem concretamente a igualdade da disputa para os cargos públicos que lhe são objeto. A mera existência de vícios procedimentais, conquanto indesejáveis, não é razão suficiente para decretar o desfazimento do certame em detrimento aos direitos subjetivos dos candidatos aprovados”.

Assim, segundo a defesa, a decisão que decretou a anulação do concurso do Regional Eleitoral catarinense deve ser reformada, porquanto as irregularidades nele identificadas não teriam afetado a isonomia entre os candidatos, já que ninguém foi impedido de realizar as provas. Ademais, segundo ela, não se cogitou de fraude, vazamento de provas ou de gabarito ou qualquer outra ocorrência do gênero. E foi nesse sentido, conforme recorda, que também decidiu o plenário do TRE-SC.

Roger

GbSorocas disse...

Eu, pelo que vi em Campinas, na hora em que tudo estava acontecendo, tive a certeza de que o programa não atingiu o objetivo, não tinha sido previamente testado (o que é vergonhoso) e de que a prova teria que ser anulada (ou refeita pelos prejudicados).
Vi gente falando que seria justo valer só a digitação, por exemplo, mas não adianta, uma coisa está vinculada à outra... a digitação foi prejudicada pela não formatação do texto.
Quem está falando diferente realmente nem imagina o que aconteceu, tá achando que o pessoal está exagerando... Eu nunca achei que estaria desse lado também, mas saber que as próximas turmas foram melhor orientadas é injusto e ponto. Não teve isonomia.
Ou terá que ser refeita, ou os que se sentirem prejudicados poderão refazer (como no ENEM); não tem como tornar isso justo de outra forma.
Eu até entendo que aqueles que ignorem os incidentes (as turmas posteriores), não compreendam o tamanho do descaso, da injustiça: eles não viram e é difícil de acreditar no que aconteceu - foi bizarro, palhaçada mesmo! Vocês nem imaginam!

Anônimo disse...

O que eu vejo que está acontecendo aqui, é que tem algumas pessoas que querem criar pânico nos outros candidatos, porque querem fazer novamente a prova.

E se Mandado de Segurança resolvesse todos os nossos problemas, quem sabe o Brasil hoje não seria um país bem melhor.

Roger

Anônimo disse...

A minha reclamação já está na ouvidoria do CNJ. Eu relatei o que eu vi, não acusei ninguém e questionei a legalidade do concurso.Com certeza vai chegar em um de seus membros, o tal do MP, que será questionado e deverá tomar as providências cabíveis.
O que vier do Conselhão, a gente acata e pronto.

Anônimo disse...

90% que não teve nada a ver com a prova? O mais correto seria resolver o problema dos poucos que foram prejudicados

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Voce nao é normal, cara !
Chorei de rir agora !!

Anônimo disse...

1.4. Não haverá em hipótese alguma realização de prova fora do horário, data e local estabelecidos neste
Edital de Convocação, seja qual for o motivo alegado.

Roger, se for assim, então nem deveria ser realizada. FOI COMPLETAMENTE FORA DO HORÁRIO

PROGRAMA RUIM, INSTRUÇÕES DIFERENTES EM CADA TURMA.
NÃO HOUVE PADRONIZAÇÃO.
NÃO HOUVE IGUALDADE.
QUEM JÁ FEZ PROVA DE ESCREVENTE DO TJ SABE COMO TEM QUE SER.
ESSE IBFC SÓ FEZ CONCURSO PEQUENO.
ELES NÃO TÊM PRÁTICA NENHUMA.
A PROVA OBJETIVA JÁ DEU MARGEM PARA DESCONFIANÇAS. NA MINHA SALA TINHA GENTE OLHANDO A PROVA DOS OUTROS NA CARA DURA. AS CARTEIRAS NEM ERAM NUMERADAS. SEM CONTROLE
ELES SÃO MUITO DESORGANIZADOS.
AS INFORMAÇÕES FICAM A CRITÉRIO DE CADA FISCAL. ELES NÃO TREINARAM O PESSOAL. POR ISSO TODA A CONFUSÃO.
AMADORES.
DEUS ME LIVRE SE FOSSE NUM CONCURSO FEDERAL, TIPO ASSIM, UM INSS OU UM TRE.
ESSE AQUI NO TOTAL NÃO CHEGOU A 50.000 CANDIDATOS.
IMAGINE O TRE QUE A PREVISÃO É DE 150.000

Anônimo disse...

Essa é para os anônimos que querem colocar medo nos outros, alegando que já ocorreu de um concurso para o TRF ser anulado.

Ocorreu a anulação em apenas um lugar e não em todo o Brasil, como o anônimo deu a entender que aconteceu.

http://jcconcursos.uol.com.br/Concursos/Noticiario/anulacao-convocacao-concurso-trf-rr-37305

Roger

Anônimo disse...

SE O ANÔMIMO 1 SOU EU, NÃO EXIGI, POIS SÓ EXIGE QUEM PODE, EU PEDI, OU MELHOR, REQUERI A ANULAÇÃO DO CONCURSO, VISTO ESTAR VICIADO, OK?
THATI.

Obrigada ao anônimo que postou a informação de um concurso anulado em SC, mais um dado relevante para nós.
Thati.

Anônimo disse...

Cadê vc???

Anônimo disse...

Boa tarde Pessoal ;

Meu nome é Gabriela prestei para Campinas/SP , sou estagiária do MP e hoje dei uma "passadinha" na Regional , que é uma subseção dentro do MP de Campinas , responsável por estas questões Administrativas.Fui informada pelo Sr.Antonio Marcos e pelo Sr.Aparecido responsável pela Regional , que é de conhecimento do MP os desencontros que acontecerem , mas que NINGUÉM protocolou nenhuma reclamação formal em Campinas.Perguntei como é o procedimento e eles me informaram que basta a pessoa que se sentiu lesada , levar um documento (sem modelo formal próprio ) ao MP e relatar o ocorrido com o maior número de dados possíveis , de preferência em 3 vias (uma pra ficarmos de volta com o protocolo), eu mandei um e-mail pra Ouvidoria e recebi hoje retorno informando que foi encaminhado para o responsável para apuração.Acho ótimo a interação no Blog , ainda que existam pessoas sem o mínimo de Civismo , mas temos que efetivamente tomar posição , se quisermos consertar algo que consideramos errado.

Finalizando quem quiser fazer o protocolo , basta levar ao MP no caso de Campinas , na Cidade Judiciária e procurar Aparecido ou Antônio Marcos.

Abraços;

Gabriela

gabriela.nogueira.jus@bol.com.br

Anônimo disse...

Boa tarde Pessoal ;

Meu nome é Gabriela prestei para Campinas/SP , sou estagiária do MP e hoje dei uma "passadinha" na Regional , que é uma subseção dentro do MP de Campinas , responsável por estas questões Administrativas.Fui informada pelo Sr.Antonio Marcos e pelo Sr.Aparecido responsável pela Regional , que é de conhecimento do MP os desencontros que acontecerem , mas que NINGUÉM protocolou nenhuma reclamação formal em Campinas.Perguntei como é o procedimento e eles me informaram que basta a pessoa que se sentiu lesada , levar um documento (sem modelo formal próprio ) ao MP e relatar o ocorrido com o maior número de dados possíveis , de preferência em 3 vias (uma pra ficarmos de volta com o protocolo), eu mandei um e-mail pra Ouvidoria e recebi hoje retorno informando que foi encaminhado para o responsável para apuração.Acho ótimo a interação no Blog , ainda que existam pessoas sem o mínimo de Civismo , mas temos que efetivamente tomar posição , se quisermos consertar algo que consideramos errado.

Finalizando quem quiser fazer o protocolo , basta levar ao MP no caso de Campinas , na Cidade Judiciária e procurar Aparecido ou Antônio Marcos.

Abraços;

Gabriela

gabriela.nogueira.jus@bol.com.br

Anônimo disse...

Estão convoncando os PNEs p/ perícia, porém não informaram a data e a hora, espero que enviem um telegraminha ou e-mail, senão...:

1 – DATA, LOCAL, ENDEREÇO E HORÁRIO
Local para realização da Perícia Médica: Departamento de Perícias Médicas do Estado
Endereço: Av. Prefeito Passos, s/n – Varzea do Carmo – São Paulo – SP
2.2. O candidato convocado para a perícia médica deverá comparecer com antecedência mínima de 30 (trinta) minutos do horário fixado para o seu início, determinado neste Edital.
2.3. Não será realizada perícia médica, em hipótese alguma, fora do espaço físico, da data e do horário estabelecido neste Edital.

Marketing Receptivo disse...

Saiu a convocação para a perícia médica. Acho muito esquisito sair perícia sem nota nem classificação. E a transparência onde fica?

Anônimo disse...

Gente, acabo de ver no site da IBFC o resultado da prova prática, e é diferente de 100. Espiem lá.

ialeph disse...

08/09 - 22H42.
JÁ ESTÃO DISPONÍVEIS AS NOTAS. SÓ AS NOTAS! AMANHÃ DEVEM SAIR: CLASSIFICAÇÃO, ARQUIVOS PARA CONSULTA DA DIGITAÇÃO. E TAMBÉM SER ABERTO O PRAZO DE RECURSO.
ACORDA, GALERA!!!

Anônimo disse...

PESSOAL ALGUÉM ZEROU???? Tenho uma amiga que foi muito bem colocada em Camps , uma pessoa super dedicada , mas que teve nota zero , ela não sabe ainda qual a razão.

GbSorocas disse...

Gente,
Na formatação tive sorte (nesse sorteio, peguei um programa que aceitou minha formatação; tirei 20 neste item).
Fui das primeiras turmas de Campinas.
Após terminar o texto, voltei ao topo e vi que o título havia sumido.
Perdendo meu tempo, chamei o fiscal e ele indicou que eu o reescrevesse e depois colocasse uma observação na folha impressa - foi o que fiz.
A MINHA NOTA, SIMPLESMENTE, DESCONTOU CADA CARACTER REESCRITO (cada um como erro!).
Por favor, me digam vocês não prejudicados: O QUE VOCÊS ACHAM DISSO?

anonimo disse...

Quero entrar com recurso, mas no edital fala sobre o formulário a ser impresso no site do ibfc, mas até agora não saiu, porque se for esperar até segunda-feira, o prazo do recurso já expirou.

Anônimo disse...

Sinto cheiro de anulação no ar.





QUEM AVISA, AMIGO É.

Anônimo disse...

Saí de outro estado para fazer a prova de digitação, gastei grana com passagem aérea e estadia, tirei uma boa nota na prova objetiva (83) e por causa de um erro do editor de texto (título sumiu e foram impressos 2) eu vou aceitar??? NEM MORTO!!! Não sou palhaço!!! A luta continua companheiro!!!